quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Sem saber se disputa o Mundial de Istambul, Cielo quer fugir da água


A água é onde ele se sente mais à vontade, mais veloz. Só que tanto tempo dentro das piscinas, ralando em treinas massacrantes, esgotou o combustível de Cesar Cielo. Depois de ganhar o bronze nos 50m livre de Londres 2012 e de disputar o Troféu José Finkel, o nadador enfim vai tirar férias. Ele tem um dia a dia regrado, comportado, mas agora quer sair da linha e fugir das piscinas.
- Vou descansar bastante agora. Vou viajar umas duas semanas e ficar longe de água. Quero sentir falta da piscina para voltar a sentir vontade de nadar. Quero me livrar da rotina. Não ter hora para comer, para acordar - disse Cielo, ao fim de sua maratona no José Finkel.
O nadador estava na contagem regressiva para este período de repouso. A cada mergulho na piscina do Sesi de São Paulo, onde foi realizada a competição nacional, 
mais perto Cielo se via do merecido descanso. Relaxado, tranquilo e brincalhão, ele chegou a falar que estava com apenas 1/4 do tanque de energias cheio. Mesmo assim, Cielo faturou cinco ouros (nos 50m e nos 100m livre e nos revezamentos 4x50m e 4x100m livre e 4x100m medley) e uma prata (nos 50m borboleta).
- É um alívio, mas estamos em um ritmo muito bom. Eu e o pessoal da Pro 16 fizemos um bom Troféu José Finkel. Surpreendeu como os tempos saíram, como o ritmo estava bom.
O ritmo bom, talvez, justifique-se pela pressa em entrar de férias e fugir da água. Melhor para Cielo, que faturou três índices para o Mundial de piscina curta de Istambul, em dezembro deste ano - ele se classificou nos 50m borboleta e nos 50m e 100m livre. Apesar das vagas, o nadador não tem presença certa na Turquia.
Assim como Thiago Pereira, Cielo só decidirá se disputará a competição após as férias. Ele teme que o Mundial em piscina curta atrapalhe a preparação para o em piscina longa, que será realizado em Barcelona, no ano que vem.
- Não sei se vou competir em Istambul. Vou conversar com o Albertinho (o técnico) ainda. Vamos ver com calma, porque o Mundial de piscina longa será em julho. Então seria um ano e meio muito forte, com olimpíadas e dois mundiais. Se eu tiver de priorizar algo, será o Mundial de Barcelona. Vou defender meus títulos em piscina de 50m
Cielo é o atual campeão mundial dos 50m borboleta e livre - ele ficou em quarto lugar nos 100m livre. A competição em Xangai, em 2011, também foi realizada pouco mais de seis meses depois da Mundial em piscina de 25m. O nadador quase não foi à Dubai 2010, mas o gosto pela piscina curta falou mais alto. Cielo não só competiu o Mundial como venceu os 50m e os 100m livre. Resta saber se o filme vai se repetir, de preferência com o mesmo fim.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Na véspera das férias, Cesar Cielo coloca Mundial da Turquia em dúvida

Cesar Cielo decidirá com seu treinador se vai disputar o Mundial de Piscina Curta

Medalha de bronze nos 50m livre dos Jogos Olímpicos de Londres, Cesar Cielo já pensa nas férias. Preocupado em manter a forma física durante o período de descanso, o nadador brasileiro ainda não definiu sua participação no Mundial de Piscina Curta de Istambul, marcado para dezembro.
“Vou conversar com o Albertinho (o técnico Alberto Silva) na volta das férias e vamos pesar o que é melhor”, declarou Cielo. Como o Mundial de Piscina Longa está marcado para o mês de julho de 2013, o nadador estuda a possibilidade de não competir na Turquia.
“Seria um ano e meio muito desgastante. Pensando na longevidade e em 2016, vamos ver se vai ser interessante ir ao Mundial de Curta porque, com certeza, se tivermos de priorizar alguma coisa, vai ser o Mundial de Barcelona no ano que vem”, explicou Cielo.
Enquanto estuda a melhor decisão, ele promete manter alguma disciplina na parte física. "Temos uma folga e quero aproveitar para descansar bem a cabeça, tentar também não comer muita besteira, não engordar muito nas férias para voltar bem, já pensando em estar numa forma bacana nos próximos campeonatos”, disse.
O último compromisso do atleta antes das esperadas férias é o 1° Torneio Novos Cielos, iniciativa do projeto de mesmo nome para detectar talentos na natação. A competição será realizada no próximo sábado, na piscina do Esporte Clube Barbarense, na qual o atleta iniciou a carreira, aos sete anos.
"O projeto se preocupa em propiciar estrutura para o dia a dia do treinamento. Então, essa competição fecha o pacote. As crianças terão uma disputa com eliminatórias e placar eletrônico - muitas nunca devem ter nadado nessas condições”, explicou Cielo.
O Novos Cielos, projeto do Instituto Cesar Cielo, apoia crianças e adolescentes de seis a 18 anos. O torneio contará com a presença de 200 crianças de três polos do programa, localizados em Limeira, São Paulo e Santa Bárbara. Os menores nadarão provas de 25m e os maiores, de 50m, sempre no estilo livre.
Cielo promete passar o dia inteiro na piscina para participar de diferentes maneira, da premiação à locução. "Estou convidando meus colegas do PRO 16 (Projeto Rumo ao Ouro em 2016) para conversar com as crianças durante a competição e fazer algumas demonstrações", acrescentou.

SUPERESPORTES

Cielo grava comercial ao lado de fã

Concurso promovido na página oficial de marca no Facebook, fez com que a consumidora escolhesse o ídolo.

AGÊNCIA BOM DIA

Nesta quinta-feira, 16, foi realizada a gravação do 4º episódio do comercial de Philadelphia que contou com a participação de uma consumidora e suas irmãs, além de Cesar Cielo, a celebridade que ela escolheu para estrelar o último capítulo da série que promove a campanha da marca intitulada “Pratique Cozinhaterapia”.
A consumidora Juliana Michi Sakamoto foi selecionada por meio de um concurso promovido na página oficial da marca no Facebook. Ela teve a opção de escolher uma das celebridades da série do comercial que estreou na TV em março deste ano, Cesar Cielo, Didi Wagner ou Dani Calabresa, e mais três amigas para gravar o novo episódio com o seu ídolo.
Juliana, então, optou por gravar o 4º e último episódio da série ao lado de Cielo e na companhia de suas três irmãs: Karen Sakamoto, Isabel Sakamoto e Beatriz Sakamoto. O vídeo deve ser divulgado no final do mês de agosto nos diferentes canais da marca na internet, onde já estão disponíveis as histórias divertidas, curiosidades e dicas culinárias da campanha.

REDEBOMDIA

(Gente, esse comercial nao ja saiu?? coloquei aqui e essa saiu como uma das primeiras notícias, mas acho que está defasado... nao sei...)


segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Cesar Cielo volta à piscina em que começou para I Torneio Novos Cielos



Antes das férias, após temporada olímpica, nadador tem compromisso com crianças dos polos de Limeira, São Paulo e Santa Bárbara D’Oeste do projeto Novos Cielos

São Paulo – O campeão olímpico e mundial Cesar Cielo, que ganhou sua terceira medalha olímpica nos Jogos de Londres – bronze, nos 50 m livre – vai sair de férias, após a desgastante temporada de 2012. Mas antes cumpre um compromisso importante no I Torneio Novos Cielos, iniciativa do projeto de mesmo nome, de detecção de talentos para a natação. A competição será no sábado, dia 1 de setembro, na piscina do Esporte Clube Barbarense, em Santa Bárbara D’Oeste (SP), em que Cielo começou a nadar, aos 7 anos.
O Novos Cielos, projeto do Instituto Cesar Cielo, quer apoiar talentos da natação, com treinamento para crianças e adolescentes de 6 a 18 anos e participação em competições, a partir de parcerias com polos de vocação formadora. O torneio terá a presença de 200 crianças (nascidas entre 1998 e 2004), de três polos do programa Novos Cielos, a Associação dos Nadadores e Esportistas de Limeira (ANEL), o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), da Prefeitura de São Paulo, e do Esporte Clube Barbarense/Unimed, nas categorias pré-mirim, mirim 1 e 2, petiz 1 e 2, infantil 1 e 2, com disputas dos 25 metros e 50 metros livre, com eliminatórias e finais.
“O projeto se preocupa com o treinamento, em propiciar estrutura para o dia a dia do treinamento mesmo. Então, essa competição fecha o pacote. As crianças terão uma disputa com eliminatórias e placar eletrônico – muitas nunca devem ter nadado nessas condições. Embore seja um torneio apenas com as crianças dos três núcleos, e só em provas do estilo livre, nas distâncias de 25 metros para os menores e de 50 para os maiores, é como um fecho para o que eles fizeram o ano todo”, afirma Cielo, que vai estar o dia todo na piscina, envolvido com o torneio, seja na premiação, seja na locução. “Estou convidando meus colegas do PRO 16 (Projeto Rumo ao Ouro em 2016) para conversar com as crianças durante a competição e fazer algumas demonstrações”, acrescentou Cielo.
Depois do I Torneio Novos Cielos, o velocista viaja para descansar. “Temos uma folga e quero aproveitar para descansar bem a cabeça, tentar também não comer muita besteira, não engordar muito nas férias para voltar bem, já pensando em estar numa forma bacana nos próximos campeonatos. Eu não sei se vou ao Mundial de Curta, vou conversar com o Albertinho (o técnico Alberto Silva) na volta das férias e vamos pesar o que é melhor. O Mundial de longa, em Barcelona, no ano que vem, vai ser em julho… Então, seria um ano e meio muito desgastante. Pensando na longevidade e em 2016, vamos ver se vai ser interessante ir ao Mundial de Curta (em dezembro) porque, com certeza, se tivermos de priorizar alguma coisa, vai ser o Mundial de Barcelona no ano que vem.”

I Torneio Novos Cielos
Programa de provas

9h30 – Cerimônia de Abertura – Coral da Fundação Romi

Eliminatórias a partir das 10 horas e finais a partir das 15 horas

25 m livre feminino e masculino (pré-mirim), 25 m livre feminino e masculino (mirim I),

25 m livre feminino e masculino (mirim II), 50 m livre feminino e masculino (petiz I), 50 m livre feminino e masculino (petiz II), 50 m livre feminino e masculino (infantil I) e 50 m livre feminino e masculino (infantil II). Todos os participantes ganharão camiseta, touca e almoço.

O I Torneio Novos Cielos tem o apoio de Shriners, Gatorade, Arena, Horti-Fruti Pérola, Fiore e Audi.
Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Correios, Audi, Gatorade e Arena.

domingo, 26 de agosto de 2012

Thiago Pereira e Cesar Cielo brilham no Troféu Jose Finkel em São Paulo

vídeo

-

Cesar Cielo cai na balada com amigos




Cielo culpa cansaço por 2º lugar nos 50m borboleta

Ainda de ressaca dos Jogos de Londres, Cesar Cielo atribuiu o 2º lugar nos 50m borboleta, disputado na noite de sábado, ao cansaço acumulado na Olimpíada e nas provas do Troféu Jose Finkel, realizado em São    Paulo nesta semana.
Favorito, Cielo marcou o tempo de 22s40 e ficou atrás do companheiro de treino Nicholas Santos, com 22s22. "Comparando com piscina longa, acho que ainda dá pra fazer mais baixo, mas a maratona de ontem não foi fácil, não. Acordei bem cansado hoje [sábado]. A disposição vai diminuindo, a explosão vai ficando mais comprometida". Avaliou.
"E sabia que essa prova seria muito difícil com o Nicholas na piscina. Ele sabe virar muito bem na piscina curta e essa é uma coisa que eu passo em branco no meu treinamento, a virada com as duas mãos. É bom saber que o meu companheiro de treino é o melhor velocista do Brasil nessa prova". Elogiou.
A "maratona" citada por Cielo foi disputada na noite de sexta-feira. O nadador caiu na piscina quatro vezes para disputar provas individuais (eliminatórias e semifinais dos 50m borboleta, além da final dos 100m livre) e de revezamento - a final do 4x100m livre.
Apesar de ter conquistado o índice nas provas de 50 e 100 metros livre para o Mundial de Istambul, em dezembro, Cielo diz que ainda não sabe se vai competir no fim do ano. Antes de decidir, ele vai sair de férias ao fim deste ciclo olímpico finalizado em Londres.
"Férias. Agora chegaram, finalmente! Vamos dar um tempinho da piscina antes de começar a pensar nas próximas competições. Vou ver se eu viajo para algum lugar, para descansar bastante a cabeça mesmo, sentir falta da piscina, coisa que agora está longe de ser a realidade. Voltar a buscar a vontade. Sair um pouco da rotina que é o mais maçante de tudo. Descansar a cabeça". Afirmou Cielo.

PARANÁONLINE

-

sábado, 25 de agosto de 2012

Cielo confirma favoritismo, vence 100m livre e alcança índice


Cesar Cielo confirmou o favoritismo e conquistou, nesta sexta-feira, a medalha de ouro nos 100 m livre do Troféu José Finkel, disputado no Sesi Vila Leopoldina. Além disso, o nadador do Flamengo conseguiu índice para o próximo Mundial de Piscina Curta, previsto para dezembro, em Istambul, na Turquia, ao terminar a prova em 45s91. Nicholas Santos, também do Flamengo, ficou em segundo, com 47s32, seguido por Nicolas Oliveira, do Minas: 47s36.
O resultado permite que Cielo defenda o título mundial na prova, vencido por ele na edição 2010 da competição. Na ocasião, o atual medalhista de bronze olímpico nos 50 m livre saiu vitorioso nos 100 m com o tempo de 45s74, recorde sul-americano.
Cielo também foi campeão nos 50 m livre, com 20s51, prova que contará com o atleta do Flamengo em Istambul. Nicholas Santos e Nicolas Oliveira, porém, não alcançaram os 46s99 necessários para qualificação ao torneio.
Cielo ainda não terminou a participação no Troféu José Finkel, já que ainda competirá nos 50 m borboleta. O nadador foi campeão no Mundial de Esportes Aquáticos de 2011, em Shangai, prova que não existe nos Jogos Olímpicos.
Na final feminina da modalidade, a australiana Marick Guerrer teve o melhor tempo, com 52s76. Como o regulamento prevê que o melhor atleta brasileiro também conquiste o ouro, Larissa Oliveira, do Pinheiros, e Graciele Hermann, do Grêmio Náutico União, empatadas com o tempo de 54s46, também ficaram na primeira posição.


Liderada por Cielo, equipe do Flamengo leva ouro no 4x100m


A equipe do Flamengo levou a medalha de ouro no revezamento 4x100 m livre no Troféu José Finkel nesta sexta-feira, no Sesi Vila Leopoldina. Fechando a prova com Cesar Cielo, o time carioca terminou a prova em 3min10s52, igualando o recorde da competição, alcançado pela equipe do Pinheiros em 2010.
Além do campeão olímpico, Nicholas Santos, João de Luca e Thiago Sickert participaram da prova pelo Flamengo. O Pinheiros, representado por Gabriel Mangabeira, Marcelo Chierighini, Leonardo Alcovert e André Daut, ficou com o segundo lugar, com o tempo de 3min12s54.
Thiago Pereira caiu na piscina outra vez para representar o Corinthians, que encerrou o revezamento na terceira posição. Além do medalhista de prata olímpico, a equipe paulista contava com Arthur Filho, Ricardo Oliveira e Fernando dos Santos.
O Fluminense, que nadou em uma bateria separada à das três equipes que subiram ao pódio, ficou na quarta colocação, seguido por Minas, Unisanta, Grêmio Náutico União e São Caetano.


Cielo lidera bateria nos 100m, mas não obtém índice para o Mundial


Cesar Cielo foi o mais rápido na segunda bateria da semifinal dos 100 m estilo livre (com o tempo de 47s42) nesta quinta-feira no Troféu José Finkel, mas ainda não conseguiu assegurar o índice (46s99) para o Mundial de piscina curta, marcado para o mês de dezembro, em Istambul (na Turquia)
Atrás de Cielo, que é atleta do Flamengo, ficou Nicolas Oliveira, que completou o percurso na piscina do Sesi da Vila Leopoldina (em São Paulo) em 47s52. O terceiro foi Guilherme Roth, com 48s13.
A final da distância será disputada na sexta-feira. Cielo, após a prova, se mostrou surpreso com a concorrência e admitiu que guardou o fôlego para a decisão.
"Achei que fosse nadar um pouco mais rápido, mas o nível técnico da prova foi muito bom, teve bastante 47s. Então amanhã vou ter que fazer uma prova melhor, entrar com mais concentração na prova e tentar tirar o melhor. Tentei guardar o máximo para amanhã, para os dois revezamentos que ainda tenho para nadar, vamos ver se amanhã eu consigo nadar para 46s, abaixo do índice e possa assegurar a medalha de ouro dessa prova", afirmou.


-

Cielo trava duelo pessoal com Nicholas Santos no José Finkel

Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, Cesar Cielo trava um duelo prova a prova com Nicholas Santos, seu companheiro de Flamengo, no Troféu José Finkel de natação, disputado em piscina de 25 m. Apesar de ter levado a melhor na final dos 50 m livre e nas semifinais dos 100 m, o campeão olímpico de Pequim acredita que o rival terá a grande chance de vencer nesta sexta-feira, nos 50 m borboleta.
Na terça-feira, Cielo ficou com a medalha de ouro dos 50 m livre, com o tempo de 20s59, enquanto Santos foi o segundo colocado, com 21s53. Dois dias depois, nas semifinais dos 100 m, os dois fizeram as melhores marcas, com 47s42 a 47s93 para Cielo.
"Ele está nadando as mesmas provas que eu. Se a gente ficar cansado, chega nas mesmas condições à piscina", brincou o medalhista olímpico. A disputa por melhores tempos, além do lado individual, também vale pontos para o Flamengo na disputa pelo título do José Finkel. "Vamos tentar ganhar o máximo de provas para ajudar na pontuação da competição, que está bem apertada", comentou.
O favoritismo de Santos no nado borboleta será colocado à prova, mas Cielo trata de exaltar as qualidades do adversário. "Acho os 50 m borboleta mais difícil, porque o Nicholas, na (piscina) curta, é melhor do que eu na prova. Eu vou querer ganhar, mas estou sentindo que ele é mais técnico do que eu", disse o campeão Mundial. "Ele tem uma virada melhor, tem uma transição de borboleta muito forte. Mas vamos tentar", ponderou.


-

Cielo mostra preferência por piscina curta: "tem em todo quintal" 

Se ficou desapontado com seu desempenho nos Jogos Olímpicos de Londres, Cesar Cielo agora, duas semanas depois do evento, só tem a comemorar. No Troféu José Finkel, realizado em São Paulo, o atleta do Flamengo tem somado grandes resultados desde segunda-feira e os justifica pelo fato de o torneio ser disputado em piscina curta, de 25 m em vez dos tradicionais 50 m.
"Eu gosto muito de piscina curta, sempre nado bem porque é que nem quadra dura, qualquer clube, qualquer quintal tem uma. Então sou super familiarizado, me sinto em casa e nado bem melhor do que na longa", comparou o nadador.
Favorito por conta do ouro em Pequim 2008, Cesar Cielo ficou apenas com o bronze no 50 m em Londres. Na mesma prova, no José Finkel, ele levou o ouro anotando 20s59, um segundo mais baixo do que a marca na última Olimpíada. A diferença se justifica pela impulsão dada na hora da batida dos 25 m, o que deixa os tempos de todos os nadadores mais rápidos.
Nesta sexta-feira em São Paulo, Cielo venceu o 100 m livre - prova que se arrependeu de ter disputado em Londres. O tempo de 45s91 surpreendeu o flamenguista, que assim conseguiu índice para o Mundial de piscina curta em Istambul, na Turquia, em dezembro.
"Sinceramente, se não tivesse o placar eu não acreditaria que fiz esse tempo. Esperava 46s5 porque quando nadamos 100 m em piscina curta acaba formando muitas ondas, o que prejudica bastante. Mas foi muito melhor do que eu imaginei, foi uma surpresa muito boa, que me deixa ambicioso para a próxima temporada", festejou ele, que ainda teria mais duas provas para se orgulhar.
Nos 50 m borboleta, Cesar Cielo liderou a segunda série da semifinal com o tempo de 23s29, mas ficou atrás de Nicholas Santos, que atingiu a marca de 23s07 no geral. Já na última prova do dia, o revezamento 4x100 m livre, o paulista, junto com o time do Flamengo, terminou em primeiro lugar, com o tempo de 3m10s52, igualando o recorde do Pinheiros, em 2010 - o que não garante pontuação melhor ao clube carioca.
"Nossa Senhora, eu fechando a prova peguei muita onda e foi difícil porque assim que mergulhei comecei a sentir dor na perna. A gente mirou o recorde, mas muito em cima, poderia ser um centésimo a menos para conseguirmos mais pontos. Mas o Flamengo fez uma sessão muito boa, estão todos de parabéns", declarou o nadador, que no sábado ainda disputa a final dos 50 m borboleta e o revezamento 4x100 m medley.


Cielo lidera eliminatória dos 100m e fica perto do índice para o Mundial


Medalha de bronze nos 50 m livre dos Jogos Olímpicos de Londres, Cesar Cielo foi o destaque nas eliminatórias dos 100 m livre do Troféu José Finkel, disputado no Sesi Vila Leopoldina, nesta quinta-feira. O nadador do Flamengo fez o melhor tempo entre os classificados para as semifinais, 47s63, mas ainda não alcançou o índice para o Mundial em Piscina Curta de Istambul - 46s99.
"Tenho que aproveitar que estou bem aqui. À noite eu acho que sai esse índice. A competição está interessante pra mim porque comecei com a minha melhor prova (50 m livre), que é de explosão, e depois tive um dia de descanso. Agora estou encarando os 100 m. Os 25 m é a minha casa. Sempre treinei assim. Quando fui aos Estados Unidos treinei em jardas. Tenho fundamentos bons, então me dou muito bem em piscina curta", afirmou.
A segunda melhor marca do dia ficou com Nicholas Santos, que há dois anos, no Mundial de Dubai, ficou fora do pódio por um centésimo nos 50 m borboleta. O nadador registrou 48s05 e, agora, tem uma motivação extra para fazer parte da delegação que disputará o Mundial da Turquia.
"Adoro piscina curta e apesar de estar sem ritmo nela porque há dois anos que a gente não compete em piscina de 25 m, quero muito ir nesse Mundial, principalmente porque está engasgado o quarto lugar dos 50 m borboleta", afirmou. No feminino, a australiana Kelly Stubbins, do Flamengo, liderou as eliminatórias com 54s52
Já o vice-campeão dos 400 m medley nos Jogos de Londres, Thiago Pereira, que disputa sua terceira prova na competição, fez o terceiro tempo dos 200 m borboleta (1m56s78). O melhor das eliminatórias foi Frederico Castro, do Flamengo, com 1m56s61, seguido por Kaio Márcio, do Fluminense, com 1m56s71. No feminino, Joanna Maranhão, do Flamengo, foi a melhor do dia com 2m08s99, um pouco acima do recorde de campeonato, de 2m08s85
"Já estou até acostumado. O importante é se classificar e por isso sempre tento poupar na eliminatória, mas maratona mesmo será hoje à noite. Tenho a final dessa prova, logo depois tem a final dos 100 m medley e no fim tem o 4x200 m, mas ainda assim vou tentar melhorar meu tempo do medley. Vamos ver se eu consigo", disse Thiago.
Nos 50 m peito, o campeão mundial em piscina curta, Felipe França, do Pinheiros, avançou à final com o 15º tempo (28s21). Os melhores das eliminatórias foram João Gomes Júnior e Raphael Rodrigues, do mesmo clube de França, que marcaram 27s40 e terminaram empatados.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Fotos

CONFIRA FOTOS DA PROVA

-

Cielo Consegue Índice para Mundial, mas se assusta com placar.

FOTOS


QUE LINDA FOTO!!

Com tática 'Kamikaze' Cielo puxa ouro e recorde com revezamento do Fla


Cesar Cielo deixou seu melhor para o fim. Depois de liderar eliminatória e semifinal dos 50m livre e alcançar o índice para o Mundial de Istambul, em dezembro, o nadador fez sua melhor marca no revezamento 4x50m do Troféu José Finkel, em São Paulo. Ao puxar o quarteto do Flamengo na última prova do dia com uma "tática kamikaze", nadou em 20s81 e estabeleceu o novo recorde sul-americano em piscina curta com 1m25s28.
Cielo abriu o revezamento e fez seu melhor tempo do dia. Na sequência, Nicholas dos Santos, Thiago Sickert e Bernardo Novaes mantiveram o ritmo e levaram o Flamengo ao ouro. A prata foi para o Pinheiros (1m26s89), e o bronze ficou com o Fluminense (1m28s76), que nadou na primeira série.
- Agora eu fiz força, minha coxa está queimando. Optamos por essa estratégia "kamikaze" porque, por ser uma piscina curta (25m), está dando muita onda. Agora eu vou ganhar férias adiantadas, na sexta-feira já vou estar suave - brincou o nadador, que saiu da piscina sem acreditar que o quarteto havia quebrado o recorde sul-americano.
O principal nome do quarteto comemorou também o desempenho dos jovens Thiago Sickert e Bernardo Novaes. Para Cielo, a vitória comprova a força do revezamento rubro-negro.
- O Pinheiros tem mais atletas de seleção, com mais nome, mas, na hora de ir para a piscina, o que prevalece é isso, o grupo. Fiquei muito feliz com o desempenho deles. É muito bacana. Por isso que somos a melhor equipe do Brasil.
Um pouco antes, a equipe feminina do Flamengo também havia batido a marca sul-americana do revezamento 4x50m. Mas, por conta da presença das australianas Kelly Stubbins e Marieke Guehrer ao lado das brasileiras Daynara de Paula e Etiene Medeiros, o tempo de 1m38s52 não pode valer como recorde. O mesmo aconteceu com o Minas, segundo colocado com 1m39s30, mas também com a holandesa Inge Dekker na equipe. O Pinheiros, que também nadou abaixo da antiga marca continental com uma equipe formada por brasileiras, ficou em terceiro lugar estabeleceu o novo recorde: 1m40s12.

vídeo

VIDEO DA PROVA

-

Cielo Ajuda e Flamengo está na liderança do Troféu Jose Finkel


Cesar Cielo foi o mais rápido nas semifinais dos 50 m livres no Troféu José Finkel. O nadador do Flamengo completou a prova em 21s19, conseguindo índice para o Mundial de Piscina Curta. O evento ocorrerá em dezembro, em Istambul (Turquia).
Na final, o atleta vai enfrentar Nicholas Santos (21s40), Bruno Fratus (21s73), Daniel Orzechowski (22s00), Andre daudt (22s05), André Pereira (22s12), Gabriel Mangabeira (22s13) e Marcelo Chierighini (22s13).
Questionado mais uma vez sobre o bronze em Londres 2012, Cesar foi enfático.
"Não dá para viver do passado. Se ficar para baixo, o único prejudicado vou ser eu. 2016 é em casa. Não quero deixar a minha motivação cair, a minha capacidade técnica e o meu ritmo caírem, quero mostrar para os outros que estou vivo. Dá para sonhar com 20s9 amanhã e pensar no futuro. O passado serve de experiência mesmo. Não adianta ficar querendo mudar o passado, sonhando com o passado, porque o mais importante é sempre o próximo campeonato. Agora é pensar em 2016", desabafou.

No revezamento, ouro e recorde sul-americano

Na prova de revezamento 4x50 m livre o Flamengo foi soberano mais uma vez. Cesar Cielo abriu para o time rubro-negro e Thiago Sickert fechou com o tempo de 1min25s28. Novo recorde continental da prova. Além deles, Nicholas Santos e Bernardo Novaes também nadaram pelo clube da gávea. O Pinheiros ficou com o segundo lugar com o tempo de 1min26s89 e o Fluminense completou o pódio com 1min28s76).
"Optamos por uma estratégia kamikaze. Por causa das marolas, era importante nadarmos na frente. O importante foram os 21s dos meninos, o Bernardo e o Thiago. Apesar de o Pinheiros ter tradição, o Flamengo vem ganhando esse revezamento desde 2010", disse Cesar Cielo.
O Flamengo fechou o dia na liderança da competição com 505 pontos, seguido pelo Minas Tênis Clube (443) e Corinthians (348).

Cielo melhora tempo e avança como à final como mais rápido em SP


Após alcançar o índice nos 50 m para o Mundial de piscina curta pela manhã, Cesar Cielo voltou a nadar bem no Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo. O medalhista de bronze em Londres cravou 21s19 - o melhor tempo das eliminatórias, e ainda 0s10 mais baixo que sua primeira marca do dia no Troféu José Finkel.
"Foi muito bom, muito melhor do que eu esperava, até dei uma desacelerada no final. Vamos ver se amanhã, sem pressão, eu consigo cravar 21 segundos", declarou ao Sportv o atleta do Flamengo. "Gosto muito de piscina curta, apesar de não ter treinado muitas viradas neste ano", completou.
O Mundial da categoria está marcado para dezembro, em Istambul, na Turquia. Antes disso, Cielo pretende tirar um tempo de descanso. "Não tive treinamento, então o que estou apresentando aqui ainda é reflexo daquela dedicação olímpica", apontou.
Outro que nadou em Londres e também disputa o Troféu José Finkel é Bruno Fratus. Quarto lugar nas Olimpíadas, o atleta do Esporte Clube Pinheiros também anotou o melhor tempo de sua bateria, com 21s73. No geral, contudo, ele foi o terceiro, ficando atrás do flamenguista Nicholas dos Santos (21s40).
Thiago Pereira, que conquistou a prata nos 400m medley dos Jogos Olímpicos, começa a nadar no Troféu José Finkel a partir de terça-feira, justamente na prova que lhe rendeu a medalha em Londres.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

CIELO, A CULPA É SUA!


De volta da Olimpíada, demorei alguns dias para conseguir colocar as palavras para resumir o sentimento que ficou com a medalha de bronze de César Cielo nos 50 livre de Londres. Aí vai:

A CULPA É SUA CIELO!

É sua! Só sua!

É culpa sua ter colocado a natação brasileira em novo padrão internacional, conquistando a primeira medalha de ouro olímpica do nosso esporte. É sua culpa ter quebrado os dois recordes mundiais em piscina longa. É sua culpa ter unificado os títulos mundiais de longa e curta. É culpa sua ser o homem mais rápido do planeta na água, seja em piscina longa, em piscina curta, e em jardas.

É culpa sua ter feito todo este país acreditar que serias imbatível. Nós, uma nação tupiniquim que de tradição esportiva só temos no futebol uma história de glórias e conquistas. O resto é esporádico, e nós todos queríamos que fosse uma rotina.

É culpa sua ter deixado a natação americana, o melhor lugar do mundo para se treinar, para se competir e voltar ao Brasil. Criar um programa local, com profissionais locais e de resultados impressionantes.

Cielo és culpado por ter trazido Thiago Pereira de volta ao Brasil. És culpado por ter dado as melhores condições de treinamento para ele e principalmente fazer ele acreditar que poderia ser um medalhista olímpico. Toda a culpa é sua!

E este grupo Pro 2016? É tudo culpa sua. Criar um projeto revolucionário e que deu oportunidade a nadadores de elite ter um programa voltado só para eles.

Cielo és culpado por reconhecer o melhor treinador de natação do Brasil e ter tirado ele de um clube sólido e seguro. És o culpado de ter feito Albertinho ainda mais nobre e reconhecido por todos. Destes a melhor condição de trabalho a um profissional que merece e que hoje não só é o melhor de nossa nação, mas que virou referência e  muito bem remunerado.

Culpa sua Cielo, só sua. Queremos o ouro, queremos o top do Olimpo e todos achamos que o seu lugar é lá. Mesmo sem tradição, mesmo sem história, sabemos que és o maior e melhor velocista na água deste planeta. A medalha de bronze, mesmo que um dos maiores triunfos que um esportista pode desejar, sabemos que não é o que desejas, o que merece, e o que deverias ter ganho.

A medalha de ouro não veio e todos nós esquecemos de tudo isso. Desculpa Cielo, aí é culpa nossa.

Alex Pussieldi, editor da Best Swimming Inc.

--
Excelente texto do Pussieldi, resumiu praticamente toda a trajetória do Cesão em poucos parágrafos lembrando à todos suas conquistas e demonstrando o apoio ao nosso campeão para que ele possa continuar trilhando esse belíssimo caminho que ele conquistou.

P.s: HOJE A NOITE TEM FINAL DOS 50m LIVRE COM CESÃO NA PISCINA NO TROFÉU JOSÉ FINKEL.

Até mais tarde!

Beijos, 

Déa.

sábado, 18 de agosto de 2012

Nas férias, Cesar Cielo promete distância até do mar e do sonho de surfar.

O desejo de virar um atleta de ponta fez Cesar Cielo passar uma considerável parte de sua vida dentro da água. São horas diárias de treinos e de muito esforço. Por isso, nas férias que vão começar depois da disputa da semana que vem no Troféu José Finkel em São Paulo, o velocista irá fazer o caminho inverso de qualquer ser humano normal. O objetivo é se afastar de tudo que se refere a uma piscina.

Nem mesmo as belezas de praias fazem Cielo mudar de opinião para uma experiência diferente de nadar no mar. Por isso, também deixa de lado um objetivo de vida que carrega faz anos.
"Você fica até paranoico e maluco, mas nada de braçadas nas férias. Tem uma coisa que sempre quis fazer que é aprender a surfar, só que olho para o mar e digo: ainda não. Natação é só quando estou em temporada", avisa.
Na praia, o limite de Cielo é se refrescar em chuveiros. "Quando fui para a praia e comecei a torrar, comprei uma ficha para tomar uma duchinha no quiosque, eu não queria entrar no mar para nadar", sorri o nadador, que tem planejado férias longe de cidades mais quentes. "Para falar a verdade, eu penso em ir para lugares frios, aqueles que você nem pensa em tomar banho por causa da temperatura", emenda.
Independentemente do local, o tempo de descanso de Cielo é cercado por uma particularidade. O plano inicial seria de um período entre duas e três semanas fora das atividades, mas ele tem na cabeça, de forma antecipada, o que irá determinar a volta ao trabalho.
"Eu devo tirar duas ou três semanas de férias, mas eu não planejo muito o tempo de descanso, penso mais em voltar na hora que sentir falta de tudo isso aqui. Chega uma hora que você fica perdido quando te tiram as coisas da sua vida que é tão regrada. Quando me sentir perdido é a hora de voltar", justifica..
Neste momento, o maior desgaste de Cielo está no psicológico, depois de intensa pressão e cobrança por tempos e resultados nos Jogos Olímpicos. "Importante é descansar a cabeça para voltar com vontade e raça, para pensar em medalhas no ano que vem", encerra o nadador paulista, medalha de bronze em Londres-2012 nos 50m rasos.

Apostas de Cielo, australianas chegam para "puxar nível" nacional.


Além de ser um ponto de desequilíbrio dentro das piscinas, Cesar Cielo também atua nos bastidores com sua empresa para agenciar carreiras e fortalecer a equipe de natação formada pelo Flamengo. A estrela brasileira foi responsável por importar duas australianas que provavelmente irão fazer a diferença no Troféu José Finkel: Marieke Guehrer e Kelly Stubbins, duas especialistas em piscina curta - justamente a realidade que será encontrada na competição que começa na semana que vem.

A ideia inicial é que as duas estrangeiras tragam muitos pontos ao Flamengo na classificação geral por equipes. Mas Cielo também se preocupa em melhorar o nível da natação feminina do Brasil, que teve apenas quatro representantes em Londres-2012 – Daynara de Paula, Graciele Hermann, Joana Maranhão e Fabíola Molina tiveram atuações pouco expressivas. “É um jeito de ajudarmos a puxar as meninas do Brasil que já se esforçam tanto para buscar grandes resultados. Trouxemos duas atletas de nível internacional”, disse o paulista nesta sexta-feira.
Nas conversas com a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, Cesar Cielo colocou a grande dificuldade de contratar estrangeiros em função da proximidade da competição brasileira com os Jogos Olímpicos. Sem tantas opções, ele realizou uma investigação rigorosa até encontrar as duas australianas.
“Precisávamos de nadadoras de piscina curta (de 25m, ao contrário das disputas em Londres realizadas em 50m), que preferencialmente não estivessem classificadas para a Olimpíada, esse é o caso delas. A Marieke e a Kelly estão preparadas para a seletiva australiana na semana seguinte para o Mundial de piscina curta, estão perto do melhor físico, foi uma boa jogada”, exaltou.
Aos 26 anos, Marieke Guehrer é especialista nos estilos borboleta e costas e apresenta um currículo de respeito: campeã mundial nos 50m borboleta em 2009 e recordista mundial dos 50m borboleta (tem o segundo melhor tempo da história) e 50m costas em piscina curta. Dois anos mais velha, Kelly Stubbins irá defender o Flamengo nas provas de velocidade do nado livre e nos revezamentos.
Apenas Marieke Guehrer esteve no Brasil anteriormente para a disputa de uma etapa da Copa do Mundo em Belo Horizonte. As duas australianas esbanjaram simpatia no contato com a reportagem da GE.Net, colocaram sua torcida pelo sucesso do País na organização dos Jogos Olímpicos de 2016, mas foram claras em relação ao objetivo principal da passagem pela capital paulista.
“A nossa expectativa em relação ao Troféu José Finkel é que o Flamengo seja o campeão”, avisou Guehrer, que se mostrou satisfeita com a força do Rubro-Negro junto à população do País, principalmente no futebol. “Podem ter certeza de que esse clube ganhou mais duas fãs”, emendou.
Marieke Guehrer ainda carrega uma importante particularidade: atua como vice-presidente da associação dos nadadores da Austrália. A atleta trabalha tanto para proteger as reivindicações daqueles que permanecem em atividade e se preocupa até com o futuro daqueles que deixam a modalidade.
Assim, a australiana ainda deixou um conselho para que o Brasil melhore a técnica das suas nadadoras em busca de resultados mais expressivos. “Você precisa saber que o processo é longo e com grande investimento em todas as áreas”, encerrou Marieke Guehrer.


-




Cesar Cielo e Thiago Pereira encaram troféu Jose Finkel a partir de segunda.

Mal terminaram os Jogos Olímpicos de Londres, mas os principais nadadores brasileiros voltam a cair na água. Na segunda-feira, começa o 41º Troféu José Finkel de Natação, no Sesi da Vila Leopoldina, em São Paulo. A competição é seletiva para o Mundial em Piscina Curta de Istambul. Estarão presentes os dois atletas que deram medalhas ao Brasil nas últimas Olimpíadas: Thiago Pereira, prata nos 400m medley, e Cesar Cielo, bronze nos 50m livre.

As disputas vão até sábado, dia 25, em piscina curta, de 25m. Thiago Pereira defende o Corinthians. Cielo é representante do Flamengo. A competição reunirá 46 clubes das cinco regiões do país e envolverá mais de 400 atletas.
O Esporte Clube Pinheiros é o maior vencedor do José Finkel, com 13 conquistas, seguido pelo Flamengo, com 12. O Minas Tênis Clube foi o vencedor do ano passado. Tem seis títulos. O Pinheiros, com 65 nadadores, terá a maior delegação da disputa.
Na segunda-feira, o Troféu José Finkel começa com baterias fos 200m peito, 50m livre, 200m costas, 800m livre feminino, 1.500m livre masculino e 4x50m livre.



GLOBOESPORTE

domingo, 12 de agosto de 2012

Cielo ignora críticas do ídolo Popov: "não é todo mundo que vai gostar"

Medalhista de bronze na prova dos 100 m livre na Olimpíada de Londres, César Cielo foi criticado pelo seu maior ídolo. O russo Alexander Popov, até hoje o único a conquistar o bicampeonato olímpico na prova, disse que era o que o brasileiro merecia depois de ter sido flagrado com doping em 2011. Cielo disse que não pode agradar todo mundo. "Não estou acompanhando muito o que está acontecendo. Todo mundo tem direito a opinião. Eu continuo fazendo o meu. Amo nadar e tenho o desafio de ser sempre um atleta melhor. Não é todo mundo que vai gostar de você mesmo", disse o brasileiro.Membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), Popov está em Londres durante os Jogos Olímpicos. O ex-nadador, que possui quatro medalhas de ouro conquistadas nas Olimpíadas de Barcelona 92 e Atlanta 96, mostrou contrariedade desde o início com a punição branda demais que Cielo sofreu por ter sido flagrado com furosemida.O nadador brasileiro alegou que havia sido vítima de um suplemento alimentar contaminado e a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) apenas o penalizou com uma advertência, pena mantida pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).


TERRA

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Vários outros links

Oi galera, vai uma lista com vários links que saíram, mas que a gente não tinha postado ainda, não é preguiça, é que alguns ja tem quase uma semana que saiu, muita gente já deve ter visto, então vou colocar só a inscrição e é só clicar que vai direto pro link ok? um beijo!!


Chateado, Cielo volta ao Brasil e diz: amanhã já vou à piscina de novo



-



-

Cielo fala em comer coisa errada, dormir tarde e relaxar






-




-



-

Bom é isso..! bjão! Jack

Frustrado, Cielo diz que comeu 6 hambúrgueres: "até passei mal"

Depois de mais um ciclo olímpico desgastante, Cesar Cielo admite que está sendo muito difícil retomar a rotina de treinos. O nadador chegou na segunda-feira ao Brasil e desde então tem dado apenas braçadas leves na piscina do Flamengo. E, mesmo assim, sem horários definidos. Vai ser assim até o Troféu José Finkel, entre os dias 20 e 25 de agosto, em São Paulo; depois disso, Cielo enfim sairá de férias.

"Para falar a verdade, não fiz quase nada mesmo nem dentro nem fora da piscina. O mais importante é estar indo dormir a hora que quiser, ficar mais solto. Tenho treinado, mas não em uma rotina muito de atleta. Tenho dormido em horários estranhos e descansado um pouco mais. Está sendo bom", disse Cielo.
O nadador brasileiro "desabafou" na comida depois da participação na Olimpíada. Ele foi ao maior restaurante do McDonald's no mundo, dentro do Parque Olímpico de Londres, e comeu seis lanches. "O pessoal me viu com seis bandejinhas e perguntou quem estava comigo. Disse que ninguém, era tudo para mim mesmo. Até passei mal", divertiu-se Cielo.
Na Olimpíada, Cielo não conseguiu defender o título dos 50 m livre conquistado em Pequim 2008, ficando na terceira colocação da prova. Ele ainda competiu nos 100 m livre, evento no qual terminou no sexto lugar.
O atleta diz que tenta se espelhar nos principais tenistas do planeta, que jogam muitas semanas no ano e já estão no Canadá para disputar um torneio importante (o Masters 1000 de Toronto) depois da Olimpíada.
"Momentos como esse são um desafio, um conflito mental. Mas é o que a gente faz. Acabou a Olimpíada e todo mundo tem que continuar trabalhando. Não tem como parar. Esperar o tempo passar não vai mudar o que já foi. Meu modelo são os tenistas. É um modelo a ser seguido. Para a gente da natação não está dando muito certo, não, mas a gente tem que tentar", disse.


-

Cesão..! Você acha muito comer 6 hamburgueres? imagina comer 12 fatias e meia de pizza com massa normal? kkkkkkkk pois eh, eu consigo e nao precisa ser depois das Olimpíadas, um rodízio simples já eh o suficiente pra eu meter o pé na pizza! kkkkk

Apesar de resultados, Cielo elogia preparação: "investimento melhorou"

A equipe de natação do Brasil chegou a Londres na expectativa de fazer a melhor participação olímpica da história. Mas tudo não ocorreu como se esperava. Os brasileiros saíram da capital britânica com apenas duas medalhas - prata de Thiago Pereira nos 400 m medley e bronze de César Cielo nos 100 m livre - e nenhuma de ouro. Mas o maior nadador da atualidade acredita que a preparação foi a melhor de todas.
."Melhorou com certeza. A gente fez viagens de preparação que não fazíamos antes. O investimento aumentou e melhorou. Tivemos preparação muito boa para a Olimpíada. Vejo um grupo muito mais sério e preparado. Muito muito bem a gente não está, senão a natação feminina estaria num patamar melhor, mas houve uma melhora muito grande", justificou Cielo, que deu entrevista nesta quinta-feira no Rio de Janeiro.
 "No caso do Brasil, o que a gente precisa é estar competindo fora. Na América do Sul, a gente domina. Daqui para a frente eu vejo a gente viajando cada vez mais."Cielo lembrou que, mesmo na época de Gustavo Borges e Fernando Scherer, o Brasil não tinha uma equipe tão reconhecida como a atual e sofria para levar mais nadadores aos Jogos Olímpicos.
 "A gente viveu momento muito bom com o Fernando e Gustavo, mas em 1992 ganhamos uma medalha de prata só, em 1996 foram três e agora foram duas. Em 2004, a gente passou uma Olimpíada super apertada. Lembro que quando alguém fazia índice olímpico a gente comemorava muito. Hoje não é assim. Mudou bastante a mentalidade", explicou o atleta.
O nadador tem uma expectativa melhor para os Jogos do Rio. "A gente acostumou com um nível acima. O Brasil é bem mais respeitado. Eles já veem os atletas do Brasil de outra forma nas finais. Acredito que seja o melhor time que o Brasil já teve, o mais completo e muito jovem. Grupo que pode fazer a melhor campanha em 2016."
Cielo não se arrepende de ter deixado os treinamentos frequentes nos Estados Unidos para montar uma estrutura no Brasil, onde os principais nadadores se reúnem periodicamente. A sensação, embora não tenha havido ouro olímpico desta vez, foi de alívio.
"Em Londres com a medalha do Thiago senti que, de qualquer forma, a prata já tinha feito tudo valer a pena. Medalha olímpica é muito especial e para o Thiago ainda mais. Montamos um grupo que conseguiu duas medalhas olímpicas. A receita é simples, um monte de gente que quer a mesma coisa e se dedica para isso."

TERRA

Desgastado, Cesar Cielo admite abandonar 100 m para 2016

O que era uma hipótese depois do sexto lugar na final na Olimpíada de Londres, ganha ares de certeza. César Cielo disse nesta quinta-feira, em entrevista no Rio de Janeiro, que considera difícil nadar os 100 m livres nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

"Na Olimpíada do Brasil é difícil eu nadar. O revezamento é uma coisa viável, mas  a prova individual o tempo vai ajudar a decidir. Hoje vejo que priorizar os 50 m seria mais interessante. Com o decorrer das competições dá para sentir melhor o que vai acontecer", afirmou Cielo.
Nadar o revezamento 4x100 m livre e a prova dos 50 m livre, em que ganhou a medalha de ouro em Pequim e bronze em Londres, é a estratégia para se equiparar ao maior medalhista olímpico da natação brasileira, seu ídolo Gustavo Borges. 
"Até brinquei com o Gustavo que ele tem quatro. Vamos ver se empato em 2016. Vontade de chegar no Brasil disputando medalha, brigando com os melhores do mundo, é coisa que eu tenho muito. Mas é bom deixar as competições falarem por mim", disse Cielo. 
Cielo confessa que já se sentiu desgastado em 2010, durante o Mundial de Roma, em que venceu as duas provas. Desde então vem tentando dosar suas forças nas competições. 
"Em Pequim eu tinha um tempo maior de recuperação porque cada prova era disputada durante três dias. É mais uma questão de que antes eu era um atleta de 21 anos e agora tenho 25. Não que não aguento nadar mais muitas vezes, mas é questão de priorizar mesmo. No Mundial me senti muito cansado, tanto que acabei batendo recorde mundial três semanas depois no Pinheiros. Poderia ter nadado melhor", disse. 
O segredo para o nadador vai ser se conhecer cada vez melhor. Só assim terá condições de conquistar, em 2016, uma medalha em prova de velocidade mesmo que tenha 29 anos, o que só o nadador americano Gary Hall conseguiu. "Eu tenho consciência disso e todo ano que passa sinto que meu corpo fica diferente, principalmente em relação a descanso e recuperação. Eu vou ter que todo ano me redescobrir", explica o brasileiro. 
"Não é uma coisa que me incomoda. Talento é um dos meus maiores presentes e tenho uma sensibilidade muito grande para acertar bem próximo do ideal. Com o tempo passando tenho conseguido ficar cada vez mais forte. Rotina de atleta profissional está fazendo mais parte da minha vida do que nunca. Antes se eu queria comer alguma coisa errada, comia sem pensar. Hoje é diferente. Vou ficar cada vez mais 'caxias' com o treino, cada vez mais regrado. Nas próximas competições a gente vai avaliando. O mais importante é me manter competitivo, Se não conseguir me manter é questão de reavaliar". 

INÍCIO DE UM NOVO CICLO...


Cesar Cielo coloca foco em 2016 e em competições como o Mundial de 2013.

Cesar Cielo mostra medalha olímpica em coletiva no Flamengo
Depois das férias, o medalhista olímpico vai buscar inspiração nos grandes tenistas: “Acaba um torneio e eles já estão disputando outro, e outro, e outro…”
Rio de Janeiro – Cesar Cielo só não foi a piscina por dois dias, desde sua volta de Londres com o bronze nos 50 m livre – sua terceira medalha olímpica. Chegou ao Brasil na segunda-feira (6/8), mas já fez treinos leves e em horários opcionais para ainda nadar o Troféu José Finkel, pelo Flamengo, de 20 a 25 de agosto, a última competição antes das férias. Nesta quinta-feira (9/8), no Rio, Cesar Cielo recebeu os jornalistas em seu clube, o Flamengo. Disse que o foco se voltará para as próximas competições – o Mundial de Barcelona será em 2013 -, até os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. “Tem o Finkel daqui a pouco, estou com uma rotina de treinos leves, e as férias serão pós-Finkel… Estava imaginando umas duas ou três semanas, mas se eu sentir vontade de voltar antes vai ser bom.”
Este é o terceiro ano consecutivo de grandes conquistas em que Cielo fala aos jornalistas na Gávea, após uma competição importante. Descontraído, brincou quando perguntaram o que fez desde que chegou. “Para falar a verdade, sem querer fazer aquela piadinha chata de nadador…, não fiz nada (risos), nem dentro nem fora da piscina. Estou em casa sem rotina, indo dormir na hora que quero, acordando na hora que quero, sem estar preso com horários de treinamento”, afirmou. Cielo disse que estabeleceu com o técnico Alberto Silva, o Albertinho, horários opcionais de treinos para o Troféu José Finkel. “Se eu acordar de bom humor, vou treinar de manhã, como fiz hoje aqui no Flamengo. Se não, vou à tarde.”
Cielo, que é dono de três medalhas olímpicas, de nove medalhas ganhas em Mundiais e o recordista mundial dos 50 m e dos 100 m livre, disse que quer nadar, e para ganhar medalha, nos Jogos do Rio/2016. Falou do bronze de Londres, de continuar nadando ou não os 100 m e da parceria com o Flamengo.
Sobre ter 29 anos em 2016

Todo ano que passa o meu corpo fica diferente, temos de arrumar algo no treinamento, principalmente em relação ao descanso e à recuperação. Até 2016, vou ter de me descobrir ano a ano, mas isso não me incomoda. Sei o que preciso fazer, tenho sensibilidade. Sinto que, com o tempo, tenho ficado cada vez mais forte, estou levantando mais peso na musculação, treinando de forma mais regrada. A rotina de atleta profissional faz parte da minha vida. Mas o mais importante vai ser sentir se eu ainda estou competitivo.

Sobre buscar mais uma medalha em 2016 e igualar Gustavo Borges

(Gustavo Borges tem quatro medalha olímpicas, duas de prata e duas de bronze; Cielo tem três, uma de ouro, conquistada em Pequim/2008, e duas de bronze, a dos 100 m livre, de Pequim também, e a dos 50 m livre ganha em Londres).
Vamos ver se eu empato com o Gustavo em 2016…. Quero muito chegar lá disputando uma medalha contra os melhores do mundo, tenho muita vontade, mas vamos deixar que as competições grandes que vêm por aí mostrem isso.

Sobre se pensa em nadar os 100 m na Olimpíada do Rio

Sinceramente, acho difícil nadar os 100 m. O revezamento é uma coisa viável, estava tentando ajudar na escalada do 4x100m de volta ao pódio, mas nos 100 m livre o tempo vai dizer. Hoje, vejo que priorizar os 50 m seria mais interessante, mas vamos ver. Ainda tem muita competição pela frente, Mundial no ano que vem, Pan em 2015… No decorrer das competições vamos sentindo o que dá para fazer.

Sobre os investimentos feitos na natação no último ciclo olímpico, de Pequim a Londres

Aumentou e melhorou. Com os Jogos aqui no Brasil acho que vai melhorar ainda mais. Melhorou também a mentalidade dos atletas. Na natação, vejo um grupo muito mais sério, preparado para ser atleta, para competir. Muito, muito bom ainda não está, se não a natação feminina também estaria num patamar melhor… mas, como atleta de seleção desde 2004, consigo ver uma melhora grande sim. E tem de continuar assim. No caso do Brasil, o que precisamos é sempre estar competindo fora. A América do Sul nós dominamos com facilidade, muito difícil achar adversário como em uma competição grande. Daqui para a frente, vejo a gente viajando cada vez mais.

Comparação entre o Cielo de 2008 e de 2012

São vários fatores a serem pesados. Em Pequim, as provas eram de manhã e duravam três dias, tínhamos um tempo maior de recuperação, os maiôs ainda estavam na piscina e ajudavam bastante no pós-prova. Mas a diferença maior seria mesmo de um atleta de 21 anos para um de 25. Não que 25 seja uma idade em que eu não aguentaria nadar muitas vezes, mas o ideal seria priorizar os 50 m. No Mundial de Roma foi a mesma coisa, eu consegui ganhar as duas provas, mas me senti muito cansado também, poderia ter nadado melhor. Mas analiso o que aconteceu nessa semana da olimpíada. O que aconteceu antes serviu de experiência.

Motivação para seguir

É o meu trabalho. Acabou a Olimpíada, tudo volta ao normal, os jornalistas continuam trabalhando, meu pai já voltou ao trabalho. Eu trabalho com esporte, não tem como parar. Esperar o tempo passar e não ficar pensando muito no que passou. Os tenistas, como Nadal, Federer, são grandes exemplos, acaba um torneio e eles já estão disputando outro, e outro, e outro… não param nunca. É um modelo a ser seguido. Estou com 25 anos, penso em nadar mais uns oito anos. Então, não quero olhar para trás e pensar que eu perdi tempo tirando férias.

Natação vivendo de talentos individuais

Acho que não, vivemos momentos bons com Fernando e Gustavo, em 1992 e 1996. Em 92, foi uma medalha de prata só; em 96, as três, e agora foram duas. Vamos criando expectativas de que sempre vai melhorar, mas 2004 passamos uma Olimpíada bastante apertada. Antigamente, vibrávamos muito com um índice olímpico. Hoje, o pensamento é outro: se o cara vai chegar à final, se vai ganhar medalha. A mentalidade mudou… Além disso, conquistamos um respeito maior lá fora e eu continuo acreditando que esse é o melhor time que nós já tivemos. E acredito que 2016 será nossa melhor campanha.

O que você achou dos resultados do PRO 16? Pensa em voltar a treinar nos EUA? Já houve conversa de renovação com o Flamengo?

O projeto foi pensado também para eu ter um lugar para treinar aqui no Brasil que sentisse que seria melhor do que lá fora, com um staff bacana, com a tranquilidade que eu precisava para treinar… Em Pequim, quando peguei o bronze, o mundo podia acabar que eu já estava feliz; em Roma foi a mesma coisa com os 100 m e o recorde mundial. No Mundial de Dubai também. O sentimento que eu tive quando o Thiago ganhou a prata foi o mesmo. A sensação é de que essa medalha de prata dele pagou todo o nosso esforço e dedicação, fez tudo valer à pena. Tanto que se eu não pegasse uma medalha seria uma decepção para mim, mas para o projeto a medalha do Thiago já era muito boa. A medalha olímpica é uma coisa muito especial e para o Thiago ainda mais.

Receptividade do povo brasileiro com o bronze

100% de apoio. Tem sido muito bacana. Quando as pessoas vêm falar comigo, me sinto até emocionado. Tem hora em que eu sinto que nem preciso de férias, que já tenho de voltar a treinar e buscar o meu melhor. O pessoal está fazendo até mais do que a parte deles. Tem sido muito gratificante para mim.

Parceria com o Flamengo

Tenho muito orgulho de fazer parte de uma equipe vencedora, com campeões mundiais e atletas renomados, como Fabiana Beltrame, no remo, Marcelinho, no basquete, Diego Hypólito, na ginástica. A Patrícia Amorim resgatou a natação do clube. O Flamengo chegou aonde chegou graças a esse resgate. O clube não é apenas o futebol. E eu fico muito feliz em fazer parte disso. Além disso, tenho muito orgulho de representar o clube de maior torcida do mundo.

Sobre renovação com o Flamengo

Sobre o contrato com o Flamengo, a vice-presidente de Esportes Olímpicos do clube, Cristina Callou observou que a intenção do Rubro-Negro sempre foi um projeto de longo prazo na natação. “A ideia era recuperar a natação do Flamengo. No ano passado, voltamos a ficar entre os três primeiros. Este ano, vencemos o Maria Lenk e vamos disputar o Finkel com a intenção de vencer de novo. Mas em nenhum momento, em agosto, a gente conversou sobre renovação, nunca tivemos nenhum problema com a renovação, sempre foi super natural. Não vejo nenhum problema. Se a vontade dele for ficar, a do Flamengo continua sendo essa.”


Até mais!

Beijos,

Déa.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Cesar Cielo sobre o Dia dos Pais: ‘Gostaria de dar a medalha de ouro, mas não deu...


O NADADOR CESAR CIELO, BRONZE NOS 50 METROS LIVRES EM LONDRES, REVELOU NA NOITE DESTA TERÇA-FEIRA, 7, DURANTE UMA BALADA EM SÃO PAULO, QUE GOSTARIA DE PRESENTEAR O PAI COM UMA MEDALHA DE OURO


Acompanhado do amigo Thiago Pereira (26), Cesar Cielo (25) conferiu o show do 
cantor Thiaguinho (29), no Café de La Musique, na noite desta terça-feira, 7, em 
São Paulo. O nadador, que ganhou medalha de bronze nos 50 metros livres em 
Londres, falou sobre sua atuação na Olimpíada, o que mais o atraiu na namorada, a 
Miss Brasil Priscila Machado (26) e o presente que gostaria de dar ao pai, Cesar 
Augusto Cielo, no Dia dos Pais
“Infelizmente no esporte não podemos prever tudo, mas eu dei o meu máximo e agora vou 
pensar no próximo desafio”, explicou o rapaz, que ainda não sabe o que vai dar ao pai 
no próximo domingo, 12. “Ainda não pensei no que vou dar, mas gostaria de dar a medalha 
de ouro, não deu, vai ficar para 2016”
Sobre a amada, que está em Mato Grosso, Cielo revelou o que mais o atraiu. “Além 
da beleza, a personalidade dela é admirável”. O nadador disse que já pensa em 
casamento e que deve ficar noivo em breve. O casal está junto há 8 meses.

CARAS

Cesar Cielo e Thiago Pereira curtem show de Thiaguinho em São Paulo

Após Voltarem de Londres com medalhas de Bronze e Prata na Natação, atletas aproveitaram a noite paulistana.

Após ganharem medalhas de bronze e prata, respectivamente, nas Olimpíadas nesta terça feira,7. Os nadadores foram à boate Café de La Musique assistir ao show do cantor Thiaguinho.


segunda-feira, 6 de agosto de 2012


Cesar Cielo adia férias e busca vontade de treinar de novo

Cielo deve retornar às piscinas já nesta terça, em preparação para o Troféu José Finkel

REUTERS/Michael Dalder
O nadador brasileiro Cesar Cielo retornou ao Brasil na manhã desta segunda-feira, com a medalha de bronze, conquistada nos 50m livre dos Jogos Olímpicos de Londres, no peito. Favorito para a conquista do ouro na prova, por ser o atual detentor da medalha dourada, conquistada em Pequim'2008, ele agora busca motivação para voltar aos treinamentos depois de conquistar o terceiro lugar.
“Agora é curtir um pouquinho a medalha e o mais importante é ter vontade de treinar de novo”, declarou o nadador logo após o desembarque no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo.
Embora cansado devido à preparação para às Olimpíadas e após nadar as provas do 100m e dos 50m na competição, o atleta terá que adiar as férias em pelo menos um mês, já que ainda em agosto, entre os dias 20 e 26 de agosto, ele disputará o Troféu José Finkel, pelo Flamengo.
“É natural, depois de uma temporada intensa, que você fique um pouquinho off. Mas tenho que defender o meu clube, o Flamengo, no Troféu José Finkel, e as férias vão ficar pra depois, mas agora é bola pra frente”, declarou Cielo que deve voltar às piscinas já na tarde desta terça-feira.
Em Londres, Cesar Cielo foi poupado das baterias do revezamento 4x100 da equipe brasileira, que acabou não conquistando a classificação às finais. Na quarta-feira, ele disputou a final dos 100m livre, em que fez o sexto melhor tempo. Ele foi o mais rápido nas eliminatórias para a sua melhor prova, os 50m livre, que aconteceram na quinta-feira, mas não conseguiu manter o bom rendimento na final, terminando a decisão em terceiro, atrás do campeão Florent Manaudou e do norte-americano Cullen Jones.



vlw Babi!

-


Cesar Cielo volta ao Brasil de olho no futuro: 'Rio está começando a chegar'

Nadador desembarca em SP ao lado de Thiago Pereira, prata em Londres


Únicos medalhistas brasileiros da natação, Cesar Cielo e Thiago Pereira desembarcaram no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira. Na bagagem, os dois trouxeram o bronze e a prata que conquistaram nos 50m livre e nos 400m medley, respectivamente. Apesar do cansaço pela longa viagem de Londres para o Brasil, os dois atenderam pacientemente a imprensa e os fãs, causando um pequeno tumulto na saguão de desembarque. (Fotos: Paulo Fischer / Agência Estado)
Para Cielo, o bronze foi um prêmio de consolação. Recordista mundial da prova mais rápida da natação, o paulista era favorito absoluto ao ouro. Bateu em terceiro (21s59), atrás do francês Florent Manaudou (21s34) e do americano Cullen Jones (21s54). Entretanto, ele ressaltou a importância de seu lugar no pódio e já iniciou uma contagem regressiva para os Jogos do Rio.
- Agora é curtir um poquinho uma medalha olímpica. Descansar um poquinho. Acho que o mais importante agora é sentir vontade de treinar de novo. Sentir vontade de se preparar para a próxima. É uma atrás da outra e não pode deixar a peteca cair agora. Porque o Rio está começando a chegar. O Rio está começando a acender a nossa cabeça - disse Cielo, aoSporTV.
natação cesar cielo desembarque brasil (Foto: Paulo Fischer / Agência Estado)

Thiago, por outro lado, comemorou muito o segundo lugar nos 400m medley, com 4m08s86. Na piscina do Centro Aquático de Londres, o atleta do Corinthians superou Michael Phelps e completou a prova atrás apenas de Ryan Lochte (4m05s18). Atleta brasileiro com mais medalhas em Jogos Pan-Americanos, o carioca estreou no pódio olímpico em 2012.
natação thiago pereira brasil desembarque  (Foto: Paulo Fischer / Agência Estado)



-

LINK

-

VALEU BABI!

domingo, 5 de agosto de 2012



Obrigada pelos links Babi!! ;)

Cielo faz primeiro pedido após missão olímpica: 'Uma semaninha sem rotina'

Medalhista de bronze nos 50m livre em Londres inicia breve descanso, mas já sonha com os Jogos de 2016: 'Tenho muita vontade de ganhar no Brasil'


Um ciclo de quatro anos de treinos pesados, acordando cedo, abrindo mão da vida social, do "fast food" e encarando a piscina gelada chegou ao fim. Todo o sacrifício pela medalha olímpica. Agora que ela veio, ainda que não exatamente da cor que esperava, Cesar Cielo quer voltar a sentir o gostinho da vida sem nenhum compromisso. Nem que seja por apenas uma semana.
- Quero ter uma semaninha sem rotina. Acho que o mais importante é não ter horário, não ter compromisso para as coisas, fazer o que quero sem estresse. Só deixar rolar mesmo. 
Acordar tarde, assistir TV até tarde, dormir tarde... Estou ansioso para não acordar cedo e não ter que entrar na água gelada de manhã - confidenciou.Cesar Cielo, no programa Conexão SporTV (Foto: Thiago Lavinas/SporTV.com)
Medalhista de bronze nos 50m livre, o recordista mundial da prova só consegue pensar em descanso após encerrar sua participação nos Jogos Olímpicos de Londres. Mas a "semaninha" de folga ainda não poderá ser como realmente planejou. De 20 a 25 de agosto, o nadador do Flamengo já disputa o Troféu José Finkel, em São Paulo.
Passado o foco principal dos últimos quatro anos, Cielo começa a traçar seu futuro. Para no ano que vem, pretende se dedicar mais aos 50m borboleta. A ideia é buscar o alto do pódio nessa prova e nos 50m livre no Mundial de Barcelona, em 2013. Após o sexto lugar em Londres, os 100m livre pode sair de seus planos.
- Vou focar nos 50m borboleta e nos 50m livre em Barcelona. Os 100m livre vão ficar como terceira prova nesse Mundial, se eu for nadar. Tenho o título nas duas provas e vou tentar conquistar o bicampeonato nos 50m borboleta e o tri nos 50m livre.
Cesar Cielo 50m livres Olimpíadas 2012 (Foto: AP)

O terceiro lugar na prova em que defendia o título deixou o nadador brasileiro frustrado, em um primeiro momento. De cabeça fria, no entanto, passou a valorizar a medalha de bronze e garantiu não ter desanimado rumo às Olimpíadas do Rio, em 2016.
- Ainda é prematuro falar de capacidade que a gente pode chegar lá. Eu quero que os Mundiais tragam o próprio discurso. Quero dizer que vou ser medalhista no Brasil depois do Mundial de 2015. Agora, o que posso falar é que tenho muita vontade de ganhar no Brasil. É a coisa que mais quero - garantiu.