terça-feira, 31 de agosto de 2010

MUITA COISA AO MESMO TEMPO

Foi tanta coisa que saiu depois da coletiva semana passada (relacionada a ela ou não) que eu fiquei até meio perdida e não postei.
Mas hoje venho aqui colocar algumas coisinhas que saíram por aí nos últimos dias. Um pouco de tudo.


Longe do adeus à piscina, Cielo já investe em galeteria e 'agencia' novatos
Roberta Nomura - São Paulo


Aos 23 anos, Cesar Cielo ostenta em seu currículo o ouro olímpico nos 50 m livre e os títulos mundiais nos 50 m e 100 m livre, além de ser recordista mundial das duas provas. E o atleta já aproveita os frutos colhidos no esporte para investir em outros ramos. Mesmo distante da aposentadoria nas piscinas, o paulista iniciou sociedade em uma galeteria e ‘agencia’ novatos.




Cielo uniu a natação e o restaurante em que é sócio em entrevista coletiva de imprensa na quarta-feira. O atleta recebeu a imprensa para falar de seu desempenho no Pan-Pacífico no “Original da Granja”, galeteria na zona sul de São Paulo em que detém 25% de participação.

“O Robertão, um dos proprietários, nadou com o Cesão. Eles moraram juntos por um ano em Auburn, nos Estados Unidos. Daí ele entrou em sociedade com o Robertão e duas irmãs dele”, contou a mãe Flávia Cielo ao UOL Esporte.

Cielo revelou que já pensa em se aventurar em novos ramos, mas ainda não fechou mais nenhuma sociedade. “A carreira de nadador não vai durar para sempre. Hoje, que estou ganhando um dinheiro a mais, tenho a possibilidade de investir”, afirmou o nadador. “Penso no meu futuro. Não comprei uma lamborghini... ainda”, brincou, sobre a meta de seus investimentos.

O campeão olímpico e mundial ainda encontra tempo para ajudar novatos na natação com a Cielo Sports Agenciamento de Atletas. Com a rotina de treinos, o atleta de 23 anos deixa a empresa aos cuidados da mãe e empresária. Entre os nadadores incluídos na lista estão Nicholas Santos, Leonardo de Deus, Bruno Fratus e Henrique Barbosa, entre outros.

“Para as coisas não caírem no colo deles como aconteceu com o Cesão, montamos essa agência que inclui assistência jurídica, assessoria de imprensa, agenciamento para captação de patrocínio e eventos”, explicou Flávia Cielo. “Consegui bastante coisa. O Nicholas, Henrique e Mangabeira vão fazer comercial do Avanço [desodorante], comemorou.

Nas piscinas, Cielo também pretende expandir os ‘negócios’. Após o ouro nos 50 m borboleta no Pan-Pacífico, o velocista quer incluir o estilo em seu treinamento. A prova, que não faz parte do calendário olímpico, não mudará a base da prática do nadador, mas pode alterar as prioridades de Cielo dentro de uma competição em relação ao revezamento.

“Tem que ver se vai pesar ou não. Vou conversar direito porque é uma prova que potencialmente posso ganhar medalha. No Pan-Pacífico, por exemplo, decidi abdicar do 4x100 livre, porque sabia que não tínhamos chances de medalha. Mas se for como em Roma, quando ficamos em quarto e éramos um dos favoritos, eu trocaria para nadar com os meus colegas brasileiros”, disse.

Os negócios fora do esporte e a possível inclusão dos 50 m borboleta não mudam o foco de Cielo em suas especialidades, os 50 m e 100 m livre. Distante da aposentadoria – o velocista russo Alexander Popov, por exemplo, deixou as piscinas somente com 33 anos e quatro títulos olímpicos -, o nadador concilia as funções.

FONTE: UOL Esporte

--> Bacana demais divulgarem o Original assim! Sou doida pra conhecê-lo, quem sabe no fim do ano não rola... hehehe! Faltam menos de 56mil!!!
Mas em compensação colocar no título da matéria que eles estão agenciando NOVATOS e lá no meio citar MANGA, RICKY e NICOLAI... bem, novatos é coisa que eles não são, né?! Deveria colocar apenas "agencia outros nadadores", porque na história tem novatos e veteranos...


Vejam também no site da ESPN os vídeos do programa Planeta Água, no qual eles falam sobre projetos ligados à natação que estão engavetados. Dentre eles é citado aquele de SBO que ia receber o Finkel desse ano, mas ainda nem havia saído do papel. Clique aqui.
Acontece que, durante o Pan Pacific, eu recebi a notícia que de já estavam começando as licitações para o início das obras, mas como não tinha um link confiável pra postar estava esperando alguém me falar alguma coisa.
Como o Tio Paulo é sempre genial, me mandou a imagem de um jornal lá de SBO sobre isso:




Agora uma reportagem do LANCE! de semana passada, que o Luiz Paulo me mostrou e, apesar de não surpreender, colocou mais um pouco de luz em algumas coisas:

Cielo deixa sua Meca?

Antes considerado o seu templo sagrado, Cesar Cielo já admite a possibilidade de não voltar mais a treinar na cidade de Auburn, nos Estados Unidos. O nadador, que chegou ontem ao Brasil depois de conquistar três medalhas – uma de ouro, uma de prata e uma de bronze – no Pan-Pacífico de Irvine (EUA), continua elogiando as instalações da universidade americana onde treina, mas está insatisfeito com aquilo que fez com que ele tomasse a decisão de encarar a solidão e a tranquilidade excessiva do lugar: o técnico Brett Hawke, que o acompanha desde antes da preparação para a Olimpíada de Pequim, em 2008, não tem tido disponibilidade de dar atenção exclusiva para ele.

Dois motivos têm causado o distanciamento do treinador. O primeiro foi o fato de ele ter sido promovido a técnico chefe da equipe de natação em Auburn. Agora, tem de dividir o tempo entre o pupilo ilustre e o restante da equipe, além de acumular funções administrativas. O segundo é um problema pessoal: pai de quatro filhos, ele tem se dedicado mais à família, principalmente depois que a esposa teve problemas de saúde, recentemente.

Cielo divide o ano treinando metade do tempo nos Estados Unidos e metade no Brasil. Agora, porém, o LANCE! apurou que ele tem planos de ficar na terra natal até março de 2011, pelo menos. E não sabe se voltará para Auburn depois disso.

O velocista aguarda para os próximos dias um e-mail de Hawke. Na mensagem, espera que o treinador esclareça se poderá continuar dando a atenção de antigamente.

– Não tem sentido eu ficar lá (em Auburn) ilhado. Tudo vai depender do que o Brett me disser. Ainda não sei o que fazer, vou aguardar mais um pouco – disse Cielo, que classificou como erro de planejamento e falta de treino o fato de ter ficado “apenas” com a prata nos 50m e o bronze nos 100m no Pan-Pacífico.

FONTE: Swim It Up!

--> Só queria mesmo saber em que pé ficou isso, quase uma semana depois. Sei que todo mundo aqui torce pelo melhor pra ele. E eu rezo sempre pra que Deus ilumine os caminhos pra que tudo dê certo, seja pra que lado for!


Lembro também que estou recebendo perguntas da galera pra uma possível mini-entrevista que deve rolar com ele nos próximos dias.
Mandem pro Twitter (@FCdoCesao), pro meu e-mail pessoal (patyangel@gmail.com) ou pro e-mail do blog (fcdocesaopromo@gmail.com).
As perguntas devem ser criativas e de preferência fugindo de temas pessoais. Vamos tentar fazer perguntas de coisas que nos interessam como fãs, curiosidades e coisas interessantes.
Vamos surpreender o Cesão, galera!!!


Essa semana é provável que esse seja o único post. Vou precisar dar uma descansada, porque semana que vem vai ser bem intensa! COPA DO MUNDO CHEGANDO!!!

Beijocas Celestes

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

DE VOLTA PRA TERRA...

Não, Cesão ainda não foi convidado pelo Gugu pra participar daquele quadro... - se bem que poderia rolar uma ajuda pra reformar as tais piscinas em Campinas ou SBO... ia calhar na ideia do quadro... hehehehe! (sim, eu sei que a ideia foi idiota... ¬¬)
Sua primeira entrevista coletiva em solo brasileiro após o Pan Pacific, direto do Original da Granja, seu restaurante na Vila Mariana, deu o que falar! Saiu coisa pra caramba!Por isso mesmo, vou dar uma compilada no que ele falou de mais importante e no final colocar os links pra vocês lerem, umas fotinhos e uns vídeos...



Erros:
"Nós dois erramos. Juntos, só tivemos ascensão, ainda não tínhamos tido esta queda. É a primeira vez que lidamos com um fim de temporada sem sucesso. Eu confio nos técnicos. Foi uma temporada conturbada em Auburn. Foi o primeiro ano em que o Brett assumiu sozinho o trabalho na faculdade. Mas acho que, no ano que vem, aprendendo a trabalhar com isso, vai dar certo"
"Acho que todo mundo tem culpa. Apesar de, na natação, só eu estar em cima da baliza, é um time, estão todos juntos. Ele (Brett) teve culpa, eu tive. Chegou uma hora em que vimos que as três medalhas já estavam boas, porque poderia ter sido pior. Faltou planejar melhor, trabalhar mais o sistema de energia, de forma mais constante. Por esta temporada ter sido muito longa e não ser de Mundial e Olimpíadas, sempre ficou a sensação de que a gente teria tempo para se preparar. Mas o tempo passou e, quando fui ver, estava na baliza e não me sentia pronto para nadar os 100m livre. Meu corpo estava dizendo que não estava dando certo, que faltava alguma coisa"
"Nunca pensei que estava perfeito. O que aconteceu é que achei que o que estava fazendo já era suficiente"
"Faltou um planejamento melhor. A gente tinha a sensação de que sempre teria tempo para recuperar. Faltou 'feedback' dele no dia a dia. Mas essa queda é boa para o aprendizado"
"Faltou mais tempo de piscina. Todo mundo errou lá em Auburn. Nos anos anteriores, achava que tinha que treinar mais. Eu mesmo perguntava se não era para treinar mais. Este ano, eu só cumpria o que era passado"



Sobre as provas no Pan Pacific:
"Parecia que estava carregando um piano nas costas. Você vira o braço de um jeito diferente do que o normal, bate a perna mais fundo e a borda não chega. São 15 m que demoram para passar na cabeça. Você sente dores na hora e continua doendo depois"
"Foi uma situação nova para mim ter se sentido cansado. Geralmente em competições desse nível, quanto mais nado, melhor eu fico. Dessa vez acordei dolorido para a final dos 100 livre. No outro dia parecia que tinha corrido uma maratona. Faltou treino de piscina"


Lidando com a derrota:
"O bronze nos 100 m me deram de presente. Passei em 11º. Só estar na final já era um presente, caiu no meu colo por causa da cota do país. Nos 50 m não. Acordei pensando no ouro"
"Depois da prova é um momento pesado. Agora, com a cabeça mais fria, sei que não foi uma catástrofe e que poderia ter sido pior. Trouxe três medalhas individuais e vou terminar o ano como o primeiro nos 50m borboleta. A prova que eu menos esperava me deixou mais feliz"
"Saber perder, tem que saber. Mas é difícil. Estava triste, chateado. São cinco minutos muito particulares. Se tivesse entrevista um dia depois, seria melhor. Mas não treino para aceitar derrotas. Encaro cada prova como superdesafio"
"Posso ter recebido muita atenção por causa das minhas vitórias, mas sou isso que sou hoje por causa das minhas derrotas. Posso dizer ao Brasil que já passei por isso e vou dar a volta por cima"



Decepção:
"Foi menos do que eu esperava, mas não é uma decepção. Analisando com mais frieza, conquistei meus objetivos neste ano, que era ganhar medalhas no Pan-Pacífico, e ainda teve os 50m borboleta. Agora é focar nos próximos dois anos para os Jogos Olímpicos e treinar com mais vontade"
"Não tem o direito (de achar que foi decepção) por causa das medalhas. Ficamos aquém do que era imaginado, mas não foi uma decepção. Termino o terceiro ano seguido como o número um do mundo em uma prova (50 m borboleta) e entre os melhores nadadores do mundo"



Sobre treinos no Brasil:
"Hoje meu clube é o Flamengo. Vou conversar com o Marcão e a Patrícia, e a gente vai definir. Eu ainda não sei se a piscina do Flamengo já entrou em reforma. Cheguei há algumas horas, ainda não sei o que está acontecendo, mas provavelmente vou treinar no Rio. Não tem piscina boa no Brasil. Mas (no Flamengo), faltam coisas muito básicas, a faixa do T no meio da piscina, na risca preta, a faixa na parede. Não deve dar muito trabalho (para reformar), mas boa, a piscina não é, não (risos)"
"Concentração não é tanto o problema. Mais difícil é a qualidade da estrutura. Você se acostuma fácil ao que é bom. Com sol, chuva ou nevando, eu posso escolher o que fazer em Auburn. Essa parte da estrutura acaba me atrapalhando um pouquinho. Eu chego a um lugar e vejo que não vou conseguir tirar o meu melhor. O Brasil está longe de ter uma estrutura que é básica lá nos EUA. Mas no ano passado treinei aqui e consegui quebrar o recorde mundial. Eu preciso estar treinado. Acreditando no que você quer, funciona"



Cobranças:
"Me cobro o tempo todo. Ficava bravo quando perdia do Gustavo Borges quando eu tinha 16 anos e ele duas medalhas olímpicas. Foi esta cobrança que me levou a treinar cada vez mais e é isso que vai acontecer agora"


Contusões (uma tendinite começou a incomodá-lo a três semanas e dores na lombar o acompanharam durante o Maria Lenk):
"Estava doendo bastante, foi uma situação nova para mim. Naquela ocasião, eu não sabia o que fazer. Faltou preparo"


Sobre os próximos anos:
"Temos de analisar em que momento estamos, o que queremos, quais as nossas metas. Quem continuar nadando neste ritmo, vai chegar em Londres no limite do corpo. Eu senti isso agora. Estava no meu limite. Venho treinando forte desde Pequim e esse descanso até dezembro vai ser importante"


PARA LER MAIS:
'Todos têm culpa', diz Cesar Cielo
Cielo diz que se enganou sobre sua própria condição e promete aprender a dosar treino
Superado no fim, Cielo diz que sentiu "piano nas costas" nos 100 m
"Nunca pensei que estava perfeito", diz Cielo após derrotas
Cielo admite erro de planejamento no Pan-Pacífico: ‘Poderia ter sido pior’
Cielo chama derrotas de "despertador" e nega ter decepcionado Brasil
Cesar Cielo revela tendinite e diz que vai treinar no Rio de Janeiro até o fim do ano
Sem saber onde nadar no Brasil, Cielo critica a piscina do Fla: ‘Boa, não é’
Cielo desabafa: "não existe piscina boa no Brasil"
Flamengo avisa que Maria Lenk está disponível para Cielo treinar no Brasil


Algumas fotos:
Foto tirada pelo sócio do Cesão no Original, o Bob, o postada no Twitter dele





O mesmo sorriso amarelo que ele sai nas fotos com fãs quando ele não tá afim de foto... #jáaprendialerCesão Hehehehe


Agora alguns vídeos bacanas...






Quanta coisa, né?! Adoro isso! =D

Beijocas Celestes

ANÁLISES DO COACH

Não é novidade pra ninguém que o Coach é um dos caras mais geniais DO MUNDO pra falar de natação (oi, Craig Lord?! #NOT) e que eu sou fãzona dele e quase me conidero uma amiga também, vai... hehe

Hoje ele postou duas análises bem bacanas sobre o Cielo que vimos no Pan Pacific.
Leiam aí e me digam o que acham:


O Cielo do Pan Pacífico – Performance técnica

Primeiro falo da performance técnica.

Uma coisa é nadar mal, como tivemos vários nadadores brasileiros que não foram bem no Pan Pacífico. Coisa normal e que faz parte do nosso esporte. A outra coisa é perder, coisa que aconteceu com César Cielo. Não dá para dizer que Cielo teve uma performance ruim. Seu tempo de 50 livre foi o terceiro do mundo este ano, terceiro da história sem trajes. Nos 100 a marca foi a oitava do ano, mas apenas 3 décimos do melhor tempo de 2010.

Assim, para mim, Cielo teve desempenho razoável, mas ele cometeu um grande erro, quase que imperdoável pois agora passou a fazer parte de uma nova categoria para todos nós brasileiros. Cielo é nosso rei, nosso deus neste esporte. E nenhum de nós queria, acreditava ou aceitou as suas duas derrotas.

Nem eu!

Não foi só Cielo que poderia ter ido melhor no Pan Pacífico. O Trio de Auburn por completo esperava melhores resultados que não aconteceram. Brett Hawke revelou que foi sua responsabilidade em parte destes resultados. O Blog já havia alertado desde maio que Auburn andava em águas agitadas.

A equipe perdeu o excelente técnico Paul Yetter, nadadores saíram da equipe, outros decidiram mudar de universidade antes mesmo de começar as aulas e treinos. Brett Hawke tem sido criticado por estar ausente. Esteve envolvido com seu curso onde se graduou recentemente.

Há duas semanas noticiei aqui a saída de George Bovell da equipe se mudando para a Espanha. Não revelei o motivo: falta de atenção!

Mesmo assim, não dá para colocar toda a culpa no trabalho do Hawke. O vice campeão do Pan Pacífico, Tyler McGill fez o segundo melhor tempo do mundo nos 100 borboleta, e era um atleta completamente desconhecido até o ano passado. E treinou em Auburn todo este tempo.

Ao final de tudo isso, acredito piamente que aprendemos e crescemos muito mais após nossas derrotas do que nossos triunfos. Resta saber se Cielo vai tirar proveito disso. Eu acredito!


O Cielo do Pan Pacífico – Marrento!

Já escrevi sobre isso, e foi há muito, mas muito tempo. E continuo com a mesma opinião. Para quem esqueceu, convido a ler meu editorial de 18 de agosto de 2009. Clique aqui.

César Cielo Filho é marrento, sempre foi. A diferença, e muito importante, é que ela agora perdeu. Se tivesse ganho, nada, mas nada disso seria dito a respeito dele. E ganhar faz a diferença, culpa de Cielo que perdeu, e agora tem de aguentar tudo isso, normal.

Convido a vocês a imaginarem duas cenas. Um atleta entra na piscina para a prova, olha para os lados com cara de mal, entra de peito aberto e cabeça olhando para cima. Bate no peito, cospe água, faz sinal da cruz e aponta para o céu. Repete o gesto várias vezes, aponta mais, bate mais, cospe mais. Tudo isso antes de entrar na água.

Se ele nada e bate o recorde mundial dos 50 livre com 20:91 e os 100 livre com 46:91 ele é o Rei Cielo, o maior do mundo, Ave César!

A segunda cena é se ele é um perronha, já na categoria senior, nada os 50 livre para 28:10 e os 100 livre termina no último lugar com 1:05:91, é um ridículo, um sem noção por completo. Que absurdo uma pessoa se expor a tudo isso.

Não quero que Cielo mude seu jeito de ser, seu entusiasmo, sua postura são admiráveis. Até quero que continue marrento, mas ganhando será muito mais fácil de entender.


--> Eu, particularmente, concordei com praticamente tudo.
O Coach fala com propriedade não apenas por ser treinador, mas principalmente por conhecer muito bem ao Cesão, sua família e sua história há muito tempo.

Foto do telão depois da prova do 50 borbo que Ana Carla Carvalho me deixou roubar do Facebook dela, mas que foi tirada com a câmera da Carol Mussi! Thanks, minhas lindas! Love you two! =D


Beijocas Celestes

terça-feira, 24 de agosto de 2010

UM ETERNO INSATISFEITO...

Ainda como reflexo das inesperadas medalhas de prata e bronze no Pan Pacific, o Globo Esporte SP fez uma matéria bem legal sobre o excesso de cobrança do Cesão sobre si mesmo.
Tem fundo musical melodramático e tudo!


#ahquegracinha

P.S.: Ainda bem que não era o Tiago Leifert e sim o Ivan Moré, se não ainda era arriscado tirarem sarro do Cesar... ¬¬


Beijocas Celestes

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

RESSACA DE PAN PACS...

Vídeos que eu não tinha postado antes e uma matéria que faz qualquer pessoa em sã consciência pegar mais amor ainda pelo Brett...
Foi isso que marcou esse dia de ressaca do Pan Pacific. Um dia sem ter de correr atrás de resultados, live streamings e outras coisas...
Fim de competição sempre deixa um vazio meio tenso, o que consola é que em menos de 20 dias tem outra em solo carioca! =D


Eu o decepcionei como treinador, diz técnico de Cesar Cielo
Mariana Lajolo - enviada especial a Irvine (EUA)

Os próximos meses serão de reavaliação. Cesar Cielo perdeu suas principais provas no Pan Pacífico e levantou o sinal de alerta: algo está errado em sua preparação.

Seu técnico, o australiano Brett Hawke, já planeja alterações no treinamento. Mas acredita que foi uma falha em seu relacionamento com o pupilo que deixou o campeão olímpico longe do degrau mais alto do pódio.

"Eu o decepcionei como treinador. Nesta temporada, tive dificuldades porque precisei terminar meus estudos e não estive tão próximo quanto gostaria", disse ele.

"Quando vi Cesar nadar aqui, percebi que não era o Cesar que eu conheço."

Neste ano, o treinador atravessa sua primeira temporada completa como "head coach" (diretor) da equipe de natação da Universidade de Auburn (EUA).

Com funções administrativas a cumprir, o australiano não tem sido presença constante na borda da piscina. Ele também terminou seu estudos de psicologia.

No Pan Pacífico de Irvine, encerrado neste domingo, Cielo conquistou três medalhas individuais. Nos 50 m borboleta, surpreendeu e levou o ouro. Nos 100 m livre, entretanto, ficou com o bronze. E, em sua prova preferida, os 50 m livre, conquistou a prata.

Depois dos 100 m livre, o nadador brasileiro, com os olhos marejados, disse que nunca mais deixaria aquilo ocorrer em sua carreira. Apesar de Cielo ter deixado a piscina de Irvine arrasado, Hawke acredita que essa foi a competição em que errar ainda era permitido.

"Aqui é um Pan Pacifico, não Jogos Olímpicos ou Mundial. Nós sabemos que podemos fazer melhor", afirmou.

"É importante para ele sentir isso. Aprender que é impossível vencer o tempo todo. É melhor sentir isso aqui do que no Mundial ou na Olimpíada", completou.

Hawke concorda com seu pupilo na avaliação sobre os erros nos treinamentos para esta temporada: eles deram muita atenção ao trabalho físico e pouca à parte aeróbica. De acordo com o treinador australiano, seu atleta precisa de "mais natação".

"A gente fez algo errado. Não é possível nadar melhor na temporada do que quando está descansado", afirmou o nadador no último sábado, após perder para o norte-americano Nathan Adrian o ouro nos 50 m livre.

"É alguma coisa que não estamos fazendo direito no treino. Alguma coisa está errada no meu estilo livre. Preciso ver o que mudar para o ano que vem", completou.

FONTE: Folha Online

Só posso dizer uma coisa: #ahquegracinha - essa relação dos dois é incrível! =D


Agora uns videozinhos de durante a competição pra não perder o costume:




E um vídeo bem bacana de hoje, do encontro que o Globo Esporte promoveu entre as duas maiores estrelas do Pan Pacific, Cesar Cielo e Michael Phelps:


Vamos combinar que o Kiko tava mandando muito bem lá em Irvine, né?! Adoro vê-lo cobrindo natação! =D


É isso, né?! Boa noite!

Beijocas Celestes

domingo, 22 de agosto de 2010

50TINHA DE PRATA...

Se teve alguém que acreditou assim que viu o Cesão bater em segundo, esse alguém não fui eu. Fiquei uns 10 minutos em choque, nem sabia o que pensar, muito menos o que falar...
E várias pessoas querendo falar comigo no MSN e mil comentários no Twitter e eu nem conseguia acreditar...
Tanto foi chocante, que deixei pra fazer o post... fiquei acordada até às 3 da madrugada pra tentar digerir, mas resolvi deixar pra postar hoje.
Tinha a nítida sensação de que era um pesadelo e que ao acordar tudo estaria melhor. Sim, estava. Não que a derrota esteja machucando menos, mas é fato que agora pelo menos já consigo pensar e escrever algo sobre.


Cielo fica com a prata nos 50m livre: 'O 2º lugar é uma derrota para mim'
Campeão olímpico e recordista mundial da prova é superado pelo americano Nathan Adrian no Pan-Pacífico. Bruno Fratus surpreende e fica em quarto
Lydia Gismondi - direto de Irvine, EUA

Cesar Cielo tentou, porém não conseguiu cumprir sua promessa. Depois do bronze nos 100m livre do Pan-Pacífico, ele, acostumado às vitórias, disse que não queria mais subir em um pódio se não fosse para ocupar o lugar mais alto. Resolveu, então, descansar e se concentrar. Neste sábado, nadou a final de sua prova preferida, os 50m livre, em 21s57. Ficou olhando o placar, incrédulo. Por dois centésimos, teve de se contentar em pôr no peito a prata. O ouro foi para o americano Adrian Nathan, com 21s55. O brasileiro Bruno Fratus surpreendeu ao terminar em quarto, atrás do canadense Brent Hayden.

- O segundo lugar é uma derrota para mim, sinceramente. Não tem outra explicação. Não estava esperando isso - disse.



Cielo não igualou seu melhor tempo na temporada (21s55), tampouco chegou perto dos 21s36 do francês Fred Bousquet. A marca, melhor ano, melhor da era sem os supermaiôs, continuará escrita em seu papel de metas - o tempo a ser perseguido, braçada a braçada.

O brasileiro acordou cedo neste sábado, último dia de provas no complexo William Woollett Jr., na pequena e pacata Irvine. Fez 21s64 nas eliminatórias e quebrou, por 20 centésimos, o antigo recorde do campeonato, que estava em poder do americano Cullen Jones.

Os 21s64, porém, significavam mais. Foi com essa marca, em 2000, que o russo Alexander Popov quebrou o último recorde mundial antes dos supermaiôs. Um recorde que, mesmo batido, manteve-se como um dos mais importantes da história. E que, em janeiro deste ano, com a proibição dos supertrajes, emergiu do fundo das piscinas, deixando o de Cielo – 20s91, no Mundial de Roma (2009) - apenas como lembrança de um tempo onde a tecnologia falava mais alto.

Sem maiô, todos voltaram a condições semelhantes à de Popov, e a marca do russo nos 50m passou a ser perseguida. O primeiro a riscá-la foi justamente Cielo, no Paris Open, em junho, com 21s55. No início de agosto, Fred Bousquet, companheiro do brasileiro em Auburn, nadou ainda mais rápido. Duas vezes. Fez 21s36 nas eliminatórias do Europeu de natação. Depois, 21s49 para faturar o ouro.



Durante toda a semana, a pressão sobre Cielo era grande. Uma pressão imposta por ele mesmo. O maior nadador da história do Brasil queria mais. E, assim como os tapas que dá em seu peito antes das provas, punia-se psicologicamente pelo “fracasso” nos 100m.

Neste sábado, porém, ele dizia estar tranquilo. Uma tranquilidade assustadora. Tinha certeza da vitória. Os sete nadadores que dividiam com ele a piscina na final dos 50m não o preocupavam. O adversário real estava escrito em um pequeno pedaço de papel. Os tais 21s36 de Fred Bousquet.

De touca dourada e bermuda, na raia quatro, Cielo largou em primeiro e chegou em segundo. O americano Adrian arrancou na última parte da piscina e garantiu o ouro. Bruno Fratus terminou em quarto, com 21s93, atrás do canadense Hayden (21s89).



Foi a terceira medalha de Cielo no Pan-Pacífico. Além do bronze nos 100m livre, ele tinha conquistado, no primeiro dia da competição, o ouro nos 50m borboleta.

- Está faltando um pouco de treino. O final da prova está pesando muito. Estou forte, rápido, mas está durando pouco. Tenho que ver o vídeo para entender o que deu errado. A competição não está sendo muito boa para mim. E, para os adversários, é a melhor da vida deles. Agora, é olhar o que precisa fazer para melhorar e esperar por resultados melhores no ano que vem - disse.

FONTE: GloboEsporte.com

--> Comentário "aleatório": Parabéns, Lydinha! Deu show na cobertura do Pan Pacific! Espero te ver na Copa mês que vem pra podermos conversar... #saudade


Como devemos pensar no lado bom de tudo, vamos lá:
Estamos em 2010, falta um ano pro Mundial de Longa do ano que vem e dois anos pra Olimpíada. Até lá, Cesão, junto com Brett podem corrigir tudo o que pode ter sido falho nesse Pan Pacific.
E mais: Pan Pacific não é um super campeonato. É apenas uma forma de não ficar sem competir em alto nível em ano sem muita movimentação. As derrotas devem ser tomadas como lição pro futuro, mas não como o fim ou a derrocada.
Nós aqui, sabemos que está apenas começando a vida de Cielo como grande atleta. Apesar de tantas conquistas, sabemos que ele ainda tem muito mais coisa boa pela frente.
Derrotas e decepções fazem parte do caminho e o que fazemos com elas é nos fazem diferentes. No caso do Cesar, sabemos que ele utilizará como combustível pra nunca mais cometer os mesmos erros e consertar tudo pra nunca mais deixar o topo que o lugar que ele merece!




Pessoas especiais não tem uma cor na medalha, tem o amor e a torcida dos nossos corações.
- Acho que essa é a melhor forma de resumir o que sentimos por você, Cesar. Estamos e estaremos sempre aqui, pro que der e vier.

Beijocas Celestes

sábado, 21 de agosto de 2010

VAI CESÃO!!!

É logo mais à noite que a temporada inteira estará à prova!
Nos 50m livre Cielo IMPERA e, mais do que nunca, ele precisa mostrar seu domínio sobre a prova mais rápida da natação.
Vamos lá calar a boca do Pradinho e de qualquer outro que ousou criticá-lo por sua derrota nos 100 ou sua decisão de não nadar o revezamento 4x100m livre!
A gente confia em você, Cesão! A gente sabe que você consegue!


Cielo se classifica em primeiro e quebra recorde do campeonato
Recordista mundial dos 50m livre estabelece nova marca da prova noPan-Pacífico. Objetivo é superar o tempo de seu companheiro de treinos
Lydia Gismondi - direto de Irvine, EUA


Cesar Cielo apostou novamente na touca dourada. Não quis usar a preta, que o faria lembrar do que quer esquecer: a performance nos 100m livre. Depois daquela prova, ele prometeu que ninguém nadaria mais rápido do que ele. Nas eliminatórias dos 50m livre, neste sábado, nenhum outro nadador conseguiu. O recordista mundial da prova, que desistiu de nadar o revezamento na noite anterior para se poupar, fez 21s64 e quebrou, por 20 centésimos, o antigo recorde do campeonato, que estava em poder do americano Cullen Jones.




- Foi bom. Mesmo querendo recuperar o máximo porque os 100m livre pesou bastante. Foi muito bom a comissão ter tirado o revezamento ontem. Hoje, estou me sentindo bem melhor. E, agora, tenho aí mais umas oito horas para descansar para a final e melhorar esse tempo aí - disse.

Cielo já declarou que deseja nadar abaixo do tempo do francês Fred Bousquet, seu companheiro de treinamento em Auburn. Com 21s36, ele é dono da melhor marca da temporada.

- Dei uma segurada no final. Nos 50m, estou folgado, está sobrando. Graças a Deus, está dando tudo certo nessa prova. E o meu objetivo não será nadar contra ninguém não. Eu tenho um objetivo pessoal de um tempo e vamos ver se eu consigo fazer - afirmou.

Além de Cielo, o Brasil terá a participação de Bruno Fratus na final.

FONTE: GloboEsporte.com

--> Só eu que tô sentindo que vem um 21 baixíssimo logo mais?! Ele vai DESTRUIR esse tempo do Bousquet e com folga...
Como ele mesmo disse, ele tá sobrando!
VAI CESÃO!!!


Só pra recordar uma coisa: a Globo vai passar ao vivo a final dos 50m livre hoje, no meio do Zorra Total, então, quem não tem nenhuma outra forma de ver o Pan Pacific, pode esperar...
Vale tudo pra ver o Cesão, até aguentar o Zorra Total!!! HAHAHAHAHAHAHAHA

Beijocas Celestes

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

ENTRANDO NO CLIMA DOS 50TINHA

Amanhã é dia de "sangue nozóio" e faca nos dentes! Turbo ligado na pernada e braçadas em velocidade máxima.
Amanhã é dia de 50m livre, não só pra tirar o amargo do bronze nos 100, mas principalmente pra retomar pra si a melhor marca do ano na prova, que atualmente tá nas mãos do Bousquet!
Tamo junto sempre, Cesão!
\o\ \o/ /o/


Cesar Cielo mira a marca do rival Bousquet: ‘Vou bater esse tempo’
Em Irvine, brasileiro quer superar os 21s36 do francês nos 50m livre
Lydia Gismondi - direto de Irvine, EUA



O principal rival de Cesar Cielo na prova dos 50m livre do Campeonato Pan-Pacífico 2010 está apenas no papel. É que o adversário mais forte do brasileiro, o francês Frédérick Bousquet, não participará da competição. Com isso, além de garantir o ouro, a meta do recordista mundial em Irvine será superar a melhor marca da temporada, obtida por Bousquet, na semana passada. A final dos 50m livre será realizada neste sábado, nos Estados Unidos, a partir das 22h de Brasília, com transmissão ao vivo do SporTV.

Fred Bouquet surpreendeu Cesar Cielo ao conquistar a medalha de ouro nos 50m livre do Campeonato Europeu com o tempo de 21s36, o melhor do mundo da era sem os supermaiôs. O francês, porém, não está na disputa em Irvine, uma vez que nenhum país europeu é convidado a participar desta competição.

- Eu não estava esperando esse tempo não. Não vou mentir. Ele estava nadando comigo até a semana do Europeu, e eu estava ganhando toda hora. Então, na minha cabeça, eu vou bater esse tempo também sem muitos problemas. Os tempos estão aí para serem batidos – disse Cielo, que fez no GP de Paris, em junho, sua melhor marca na temporada: 21s55.

Embora não tenha a preocupação de nadar com o principal rival na raia ao lado, Cielo lamentou o fato de ter que competir “contra o papel”.

- É uma pena a gente não poder nadar de novo um do lado do outro. É difícil nadar contra um tempo no papel. Mas, independentemente seu vou nadar em um tempo abaixo do dele ou não, quero trazer essa medalha de ouro para o Brasil nos 50m livre.

O nadador brasileiro, que tem como costume anotar em um papel os tempos que gostaria de fazer em cada competição, não revelou os números almejados desta vez. Ele garantiu, no entanto, que o objetivo é levar para casa pelo menos três medalhas.

- Está escrito: “Vai ganhar, meu filho”. Quero ganhar três medalhas nas provas individuais e, quem sabe, pegar pódio nos revezamentos 4x100m livre e 4x100m medley.

FONTE: GloboEsporte.com


Amanhã se encerra o Pan Pacific. E aí depois é só contar os dias pra Copa do Mundo no Rio! #ansiedadeastronomica

Beijocas Celestes

RESSACA...

E essa não é daquelas ressacas boas, pós-campeonato ou recorde mundial...
Não foi fácil dormir essa noite! Só pensava: "como ele está?", e rezava pra Deus iluminá-lo, confortá-lo e guardar-lhe os caminhos...
Ele não merecia essa derrota! Foi uma derrota pra si mesmo, pra sua falta de preparação específica pra essa prova e pro relógio.
Mas sabemos que ele não esmorecerá e amanhã virá com tudo e mais um pouco pros 50m livre!


Cielo promete: ‘Ninguém vai nadar mais rápido que eu a partir de agora’
Emocionado e frustrado após ficar com a medalha de bronze nos 100m livre, nadador garante que terceiro lugar em Irvine não se repetirá
Lydia Gismondi - direto de Irvine, EUA

Campeão e recordista mundial dos 50m e 100m livre, Cesar Cielo perdeu o costume de perder. Nesta quinta-feira, na final dos 100m do Pan-Pacífico de 2010, em Irvine, sofreu ao sentir de novo o gosto amargo da derrota, embora ela tenha sido acompanhada por uma medalha de bronze. Emocionado, o nadador brasileiro reconheceu que não merecia a vitória e garantiu que não vai mais subir em outro lugar do pódio que não seja o mais alto.

- Quando a gente ganha, acaba esquecendo dos erros. Ficar no pódio e ver a bandeira sem ser no meio não é o que eu quero para mim. Mas eu prometi para mim mesmo que muita coisa boa ainda vai sair dessa prova. Prometi que ninguém mais vai nadar mais rápido do que eu a partir de agora. Essa situação que eu passei hoje não é o que quero para mim – disse Cielo, sem segurar as lágrimas.

Na final atípica desta quinta-feira, Cielo virou os 50m em primeiro, mas acabou sendo superado pelo americano Nathan Adrian e pelo australiano Brent Hayden. Embora tenha ficado triste com o terceiro lugar, o brasileiro reconheceu que nem deveria ter participado da disputa por medalhas. Nas eliminatórias, ele fez apenas o 11º tempo, mas se classificou devido à cota de dois atletas por país.

- Quando eu vi no placar que tinha ficado em terceiro lugar, não fiquei contente, apesar de eles já terem me dado essa final de presente. Falando a verdade, eu nem merecia estar nessa final – afirmou.

Cielo já sabe o que precisa melhorar para voltar a vencer esta prova.

- Já não estou me sentindo bem nessa prova tem um tempo. A minha chance era passar forte nos 50m e tentar segurar a volta. Mas, realmente, faltou um pouco de treino aeróbico nesta temporada. O final está pesando muito mais do que estava pesando antes. E isso não é de agora. Foi a temporada toda. Isso é uma coisa que vou ter que acertar para o ano que vem.

FONTE: GloboEsporte.com

É um orgulho vê-lo em qualquer lugar do pódio, mas essa carinha de decepção dele é de cortar fundo o coração!

Matéria do SporTV sobre a popularidade do Cesão lá em Irvine:

Bem bacana, né?! E Cesinha?! É SHOW!!! #adoro


Agora essa matéria do UOL... nem sei o que pensar!

Dono de dois recordes, Cielo pede que Fina cancele marcas dos supermaiôs



O campeão olímpico e mundial Cesar Cielo pediu que todos os recordes conquistados com a ajuda dos supermaiôs sejam cancelados. O brasileiro comentou que agora a natação deve voltar à realidade e que os tempos batidos durante a era dos trajes tecnológicos são irrelevantes para os atletas.

Cielo, dono dos recordes mundiais dos 50 m e 100 m livres, disse que a decisão da Fina (Federação Internacional de Natação), que baniu os supermaiôs das piscinas desde 1º de janeiro, não colocou um ponto final no assunto.

"Os tempos que fizemos no ano passado devem ser esquecidos", disse Cielo, após terminar em terceiro na final dos 100 m livres no Pan-Pacífico, em Irvine, nos Estados Unidos. O paulista fechou a prova com 48s48. "Isso está apenas bagunçando a cabeça de todos".

A decisão de proibir os trajes tecnológicos foi feita pelo organismo que comanda o esporte após 43 recordes quebrados durante os campeonatos do ano passado. As marcas foram batidas sempre com a ajuda do supermaiô.

Cielo também garantiu os seus melhores tempos com os trajes de alta tecnologia que ajudam a reduzir a resistência à água e aumentar a flutuabilidade. O brasileiro estabeleceu o recorde mundial dos 100 m com o tempo de 46s91 no Mundial-2009, em Roma. O recorde dos 50 m (20s91) foi conquistado em dezembro, dentro de casa.

"Eu não vejo razão para manter uma marca de 46s91 se mal estamos chegando aos 48 [segundos]. O mais importante é ganhar, e não quebrar o recorde mundial", reforçou Cielo, que foi derrotado nos Estados Unidos pelo anfitrião Nathan Adrian, que marcou 48s15.

FONTE: UOL Esporte

--> Isso tudo é reflexo da decepção pela qual ele passou ontem! Tá tão bolado com o bronze e o tempo "ruim" que fez, que tá querendo até se auto-desmerecer... a derrota pra si mesmo e pro relógio é a pior possível!


Mais tarde deve ter mais coisa! Soube que passou algo no GE, mais tarde eu precuro e posto aqui.

Beijocas Celestes

UM BRONZE QUE QUERIA SER OURO...

É... desceu amargo, né?!
Muito tempo que não víamos o menino numa posição mais baixa no pódio, né?!
Acima de tudo é estranho!
O fato é que qualquer coisa vinda do Cesar vale ouro! Ele não esmorece, ele não desiste... exemplo daquilo que devemos ser na nossa vida!
Obrigada, Cesão, por mais um lição de humildade, hombridade e luta!
Virou menino por alguns momentos, machucado, emocionado, envergonhado... o menino que foi abraçado pelo Brasil, chegando aos Trending Topics do Twitter brasileiro!
Nós te amamos, nós te apoiamos em tudo, sempre!


Exausto, Cielo perde força no fim e fica com o bronze nos 100m livre
Brasileiro é superado por Nathan Adrian e Brent Hayden no Pan-Pacífico e interrompe entrevista após a prova alegando que estava passando mal
Lydia Gismondi - direto de Irvine, EUA

Durante quase toda a prova, Cesar Cielo ignorou a marola na Califórnia. Mesmo largando na raia 8, o recordista mundial dos 100m livre pulou na frente na prova desta noite, no Pan-Pacífico, e segurou a liderança até os últimos metros. Na reta final, não resistiu. O brasileiro perdeu fôlego na chegada e foi ultrapassado por Nathan Adrian e Brent Hayden. Em uma de suas provas favoritas, ficou com a medalha de bronze. Ao sair da piscina, foi vencido pela exaustão. Ofegante, ainda tentou explicar a prova, mas interrompeu a entrevista e se ajoelhou no chão.

Sem forças, Cesar Cielo deita na raia logo após a prova desta quinta (Foto: Satiro Sodré / Divulgação)

- Estou sentindo a minha perna doer até o osso. O finalzinho ali pesou e eu acabei perdendo a medalha de ouro. Espera aí, estou passando mal – disse Cielo ao SporTV, ajoelhando-se no chão e ficando de cabeça baixa por alguns segundos, antes de se levantar e ir embora.

Cielo bateu em 48s48, naturalmente bem acima de seu recorde mundial, 46s91, obtido com a ajuda do supermaiô em Roma, no ano passado. O americano Adrian ficou com o ouro ao nadar em 48s15, seguido de muito perto pelos 48s19 do canadense Hayden.

- Sinceramente, não fugiu muito do esperado. Já não estou me sentindo bem nessa prova tem um tempo. A minha chance era passar forte nos 50m e tentar segurar a volta. Mas realmente faltou um pouco de treino aeróbico nesta temporada. O final está pesando muito mais do que estava pesando antes. E isso não é de agora. Foi a temporada toda. Isso é uma coisa que eu vou ter que acertar para o ano que vem - afirmou Cielo, após a cerimônia do pódio.



O brasileiro penou nas eliminatórias e quase ficou fora da final nesta quinta. Ele largou na raia 8 e teve o melhor tempo de reação (0s67). Ignorando a parte ruim da piscina, fez a virada na frente (22s74) e se manteve na liderança durante três quartos da prova. Foi quando perdeu força e viu Adrian e Hayden ganhando as posições.

Após olhar o placar por alguns segundos, deitou de barriga para cima na raia e foi o último a sair da piscina, ofegante. Chegou a cambalear nos primeiros passos e foi andando devagar até a zona mista para falar com os jornalistas. Foi quando, no meio da entrevista, sentiu-se mal e precisou se agachar no chão.

Alguns minutos depois, Cielo ainda mancava, mas ao menos esboçava o sorriso. Subiu ao pódio para receber o bronze, sorriu para os companheiros de prova e ouviu o hino americano.

O foco do brasileiro agora se volta para o sábado, quando vai disputar os 50m livre.

- Estou super confiante para está prova. Minhas saída está a melhor de todas e eu sinto que sou o mais forte dentro da piscina. Eu só preciso é de resistência - avisou.

Nicolas chega em quarto na final B

Na final B, Nicolas Oliveira foi o quarto colocado, com o tempo de 49s36. Henrique Rodrigues terminou em sexto, com 49s91. A prova feminina foi vencida pela americana Natalie Coughlin, com 53s67. A australiana Emily Seebohm e a americana Dana Vollmer fizeram 53s96 e dividiram a prata.

FONTE: GloboEsporte.com

LEIA MAIS:
LANCENET!
Folha Esporte
UOL Esporte
Terra Esporte


Meu coração tá em pedacinhos pela tristeza dele...
Mas a sensação de déjà vu é enorme... de novo ele disse que vai vencer os 50 livre daqui dois dias! Exatamente como aconteceu em Pequim...
Ele nadou na raia 8, ganhou o bronze e disse que ia ser ouro nos 50!
É isso aí, Cesão!!!
Um vencedor não é feito apenas de medalhas de ouro, mas de sua postura diante da vida e das pedras no caminho!



A PROVA


A ENTREVISTA PÓS-PROVA


MATÉRIA DO JORNAL DA GLOBO



Uns cinco minutos antes da prova eu tava com o coração a mil, tentando respirar fundo... de repente começou a me faltar o ar, as mãos ficaram dormentes... pensei que eu ia desmaiar!
Quando nadou, eu nem queria ver o resultado... não sei explicar. Mas na hora que vi fiquei agoniada... tudo o que queria era poder dizer a ele o quanto ele é, foi e sempre será importante pra nós!
VAI CESÃO!!! SÁBADO TEM 50TINHA E VOCÊ VAI DETONAR!!!


Beijocas Celestes

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

SEGUNDO DIA DE ELIMINATÓRIAS...

E hoje foi um dia daqueles pra fazer quase desistir da vida...

Tudo vinha dentro do esperado, quando de repente, Cesão faz o 11º melhor tempo das eliminatórias. Por muito pouco não ficou fora da final A!
Se não fosse a regra do máximo de dois atletas por país na final, ele teria dançado!
Mas como dizem, Deus é mais e não ia desamparar Cielo, que não é o Leozinho, mas é Abençoado também. [eu sei que foi um péssimo trocadilho, mas como fazia tempo que eu não falava umas "prosa ruim por aqui, precisava escrever isso! Hehehe]


Cielo faz o 11º tempo nos 100m livre, mas consegue a última vaga na final
Recordista mundial da prova chega em quarto lugar em sua série e, beneficiado pela regra do Pan-Pacífico, consegue um lugar entre os finalistas
Lydia Gismondi - direto de Irvine, EUA


Ser dono apenas da décima melhor marca da temporada era muito pouco para Cesar Cielo. O recordista mundial dos 100m livre (46s91) queria mais. Desde julho, no Meeting de Athens, tentava nadar abaixo dos 48s63, seu melhor tempo desde que os trajes tecnológicos foram proibidos pela Federação Internacional. Mas não conseguiu alcançar o objetivo novamente. Nesta quinta-feira, o brasileiro chegou a estar em segundo lugar até os 75m, só que acabou perdendo posições na série e conseguindo apenas o 11º tempo nas eliminatórias do Pan-Pacífico de Irvine, nos Estados Unidos (49s13). No entanto, beneficiado pela regra do torneio, que permite apenas dois atletas por país na final, e assegurou a oitava última vaga.



E sofreu muito até ter a certeza de que iria voltar para disputar uma medalha. A angústia começou assim que tocou a borda e viu o tempo no placar eletrônico. Levou as mãos ao rosto, como se não pudesse acreditar no que estava vendo. Deixou a piscina abalado e foi direto para a área de concentração da delegação brasileira, onde encontrou um computador e não cansou de atualizar a página oficial de resultados. Quando percebeu que com os cortes seu nome figuraria entre os oito finalistas, deu um berro e comemorou como se tivesse vencido uma prova. Depois disso, reclamou de dores muito fortes na perna direita e seu técnico pediu que fosse colocado gelo no local. Recuperado do susto, Cielo foi para a piscina soltar. Ao contrário de quarta-feira, ele nadou com a touca preta e não com a dourada, com a qual venceu os 50m borboleta.

A oitava e última série dos 100m livre reuniu três dos quatro nadadores que estiveram no pódio nas Olimpíadas de Pequim: o australiano Eamon Sullivan, prata nos Jogos, Cesão e o americano Jason Lezak, que dividiram o bronze. Na ocasião, a medalha de ouro ficou com o francês Alain Bernard. E na disputa entre eles em Irvine, Cielo chegou em quarto lugar. Lezak conseguiu o segundo melhor tempo das eliminatórias (48s47) e Sullivan o quinto (48s92). O mais rápido foi o americano Nathan Adrian, que estabeleceu o novo recorde do campeonato (48s41).

FONTE: GloboEsporte.com

--> Alguém poderia ter vídeo dessa reação dele ao entrar pra final dos 100 livre com o oitavo tempo, hein?!
Na hora em que as provas tavam rolando, todo mundo tava incrédulo... "como que o Cielo ia ficar de fora da final???"
Mas aí depois teve o lance da regra e deu tudo certo!


LEIA TAMBÉM:
Cielo faz só o 11º tempo, mas vai à final dos 100m


Agora uma matéria bacana da Folha Online:

César Cielo diz que glória, para ele, é efêmera
Mariana Lajolo - enviada especial a Irvine

Ele já é o melhor nadador brasileiro de todos os tempos. Ele já está entre os maiores da história. Mas Cesar Cielo parece não se dar conta disso, ou não se importar.

O que move o principal velocista do país nas piscinas é algo muito mais prosaico do que a glória de ter seu nome inscrito entre os melhores.

Com o sentimento de ainda ser um novato, apesar de todas as suas conquistas, o campeão olímpico tem hoje seu primeiro grande desafio no Pan Pacífico de Irvine, na Califórnia: os 100 m livre.

As eliminatórias serão disputadas a partir das 14h. As finais, a partir das 22h.

"Na verdade, não nado para ser reconhecido pelo que eu faço. Não sei explicar por que eu quero nadar cada vez mais rápido, de onde vem esse desejo", afirmou Cielo.

"Nas vezes em que consegui resultados expressivos, só de bater na borda e olhar o placar, a sensação daquele momento e a que vem logo em seguida... É o que eu estou buscando. É aquele momento da batida e do pós-prova, do pódio. Aqueles cinco minutos para mim são cinco minutos de glória mesmo", acrescentou o nadador.

Ontem, ele voltou a experimentar essa sensação. Nos 50 m borboleta, prova que não é sua especialidade, conquistou o ouro com o recorde do campeonato e melhor tempo deste ano: 23s03.

Em segundo, chegou o brasileiro Nicholas Santos, seu colega de treino em Auburn (EUA), seguido do sul-africano Roland Schoeman.

"Foi melhor do que eu planejava. Minha meta [no Pan Pacífico] é ser sempre o melhor. Esse foi apenas o primeiro passo para os próximos dois eventos [50 m e 100 m livre]", falou o velocista.

Para o principal campeonato do ano, o mantra de Cielo é reafirmação. Apesar de esta ser uma temporada considerada menos nobre, sem Mundial ou Olimpíada, a derrota está fora de cogitação.

"Eu ficaria muito puto. Perder não, não. Na minha cabeça, estou treinando para ser o melhor sempre."

"Treino sempre achando que vai ter alguém me passando e que é a primeira vez que estou buscando aquilo. Como se eu fosse um dos novatos mesmo. Treinei na temporada para me reafirmar, saber que aquele título que passou não foi momento, não foi sorte ou coisa parecida", completou Cielo.

Campeão olímpico, mundial e recordista das duas provas mais rápidas da natação mundial - os 50 m e os 100 m livre. Mesmo assim, o brasileiro declarou ainda não se sentir reconhecido.

"Mas não procuro esse reconhecimento de andar na rua e ser famoso, de ficar conhecido no esporte ou mesmo marcar a história. Nem eu consigo explicar com precisão [o que eu busco]", afirmou o atleta de 23 anos.

Só sabe que procura sempre por aqueles cinco minutos de glória. Hoje, pode vivenciá-los mais uma vez.

FONTE: Folha Online

--> Muito bacana, né?! Mostra um lado do Cesão bem pouco explorado, mesmo em época de competição, quando as matérias costumam falar apenas de resultados...


Vejam também essa galeria de fotos de Irvine feitas pelo UOL clicando aqui.


E agora umas fotos do Best Swimming:






Esperando ansiosamente pra ver a reviravolta do Cesão nesse 100 livre!!!

Beijocas Celestes

A PRIMEIRA MEDALHA!!!

E veio numa prova que não é a especialidade dele, 50 borbo!
É O CARA!!!

Como eu, nem que ficasse em casa conseguiria assistir, ficaria só nas notícias pelo Twitter e dos live results, acabei indo pra uma festa com um amigo (aquele mesmo que eu já disse aqui que acha o Cesão sem graça... hahahahaha).
Cheguei era mais ou menos 2:30 e já fui vendo tudo. Nicholas tava online no Twitter e comemorando a vitória!
Cesão também postou no Twitter uma foto da medalha, linda por sinal!


De touca nova, Cielo fatura o ouro e puxa dobradinha nos 50m borboleta
Brasileiro faz o melhor tempo do ano na prova; Nicholas Santos chega em segundo lugar também sobe no pódio do Pan-Pacífico em Irvine, nos EUA
Lydia Gismondi - direto de Irvine, EUA



Nas eliminatórias, era “só para soltar”, e mesmo assim veio o terceiro melhor tempo. A performance de Cesar Cielo à tarde, na primeira vez em que caiu na água no Pan-Pacífico, nos Estados Unidos, abriu uma nova esperança para a final à noite. O brasileiro voltou à piscina do Parque Aquático William Woollett Jr, na cidade californiana de Irvine, e mesmo sem grandes expectativas cumpriu sua rotina de campeão: com a nova touca dourada, bateu em primeiro com 23s03, fez a melhor marca do ano e liderou a dobradinha brasileira seguido por Nicholas Santos, que fez 23s33.

- Eu não podia nadar com a touca dourada e pegar a medalha de prata. Realmente, deu certo. É um bom primeiro passo para o campeonato. No primeiro dia, o que vale é manter o ritmo, mas começar com uma dobradinha é muito bom para mim e para o Nicholas. E também para o grupo ver que pode nadar rápido. O Brasil vai ganhar mais medalhas - afirmou Cielo, logo após a prova, em entrevista ao SporTV.

Com a nova touca dourada, Cesar Cielo vibra com a vitória nos 50m borboleta nesta quarta-feira (Foto: AFP)

Foi a primeira vez que o nadador do Flamengo vestiu a nova touca, inspirada no capacete do New Orleans Saints, campeão de futebol americano. O brasileiro não era favorito para ganhar a prova, mas confirmou sua condição de grande velocista e bateu o recorde do campeonato, que era do australiano Geoff Huegill (23s27). O terceiro colocado foi o sul-africano Roland Schoeman, com 23s39.

Cesar Cielo e Nicholas Santos festejam a dobradinha no Pan-Pacífico (Foto: Satiro Sodré)

- É engraçado. Tudo que é 50m, eu nado. Disse para o técnico que poderia me colocar, que eu dava um jeito. É o melhor tempo do ano, do meu ranking. Uma surpresa muito grande. Quero voltar para os 100m e os 50m livre e conquistar mais dois ouros - afirmou Cesão, referindo às provas que vai nadar na quinta-feira e no sábado.

Desta vez, não houve choro no pódio. Cielo pareceu emocionado, mas se limitou a algumas piscadas. A dobradinha com Nicholas é inédita na natação brasileira.

- Foi muito bom. Estou muito feliz com meu tempo. Prefiro perder para o Cesar do que para os gringos. A dobradinha foi muito bacana - festejou Nicholas.

Antes da prova, outro brasileiro festejou vitória. Glabuer Silva venceu a final B com o tempo de 23s64, seguido por Ryan Pin, de Papua Nova Guiné, e Tyler McGill, dos Estados Unidos.

FONTE: GloboEsporte.com


Uma entrevista bacana pós-prova que o Coach colocou no blog dele:


Olha Cesão e Nicolai comemorando... #coisamaislindadesever


E Essa foto linda do pódio, também do Blog do Coach:
Parabéns, Nicolai!!! Mandou muito bem, cara!!! - o abraço do Cesão no Nicolai é sem base de tão emocionante... #amigoéissoaí

E a primeira dourada do Cesão nesse Pan Pacific, direto do Twitter:


LEIA MAIS:
Veja.com


Agora é só esperar as eliminatórias dos 100 livre logo mais e torcer muito!!!

Beijocas Celestes

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

PRIMEIRAS ELIMINATÓRIAS DO PAN-PACS

COMEÇOU!!!

E como era de se esperar não faltou emoção! Mesmo sendo apenas eliminatórias já teve Kaio Márcio nadando na raia ao lado do Phelps, Leo de Deus fazendo tempo melhor do que o Thiago Pereira, Joanna na final B dos 200 borbo feminino, pessoal indo mal nos 200 livre (pra variar)...
Mas a parte boa mesmo ficou por conta dos 50 borbo!

Gabi Silva, a única representante do Brasil no feminino dessa prova, tá na final com o 4º melhor tempo, de 26"42s. A sua frente apenas as australianas Marieke Guehrer com 26"19s e Emily Seebohm com 26"36s, e a japonesa Yuka Kato em terceiro com 26"40s. Vejam o que ela falou após a prova:

- Esperava tempos até mais fortes porque como não tem limite de inscrição por país, as equipes também estão disputando entre si. Na final, como sempre, é brigar pelo pódio e acho que ele é bem possível.

Com esse otimismo todo, acho que ela poderá nos surpreender ainda mais do que já pensamos! VAI, GABIIIIIIIII!!!

No masculino teremos Cesão e Nick na final A de logo mais e Glauber na final B! Cesão fez o 3º melhor tempo, Nick o 6º e Glauber em 10º. Cesão falou bem bacana depois de nadar:

- Foi bom. Normalmente é um pouquinho difícil dar essa quebrada para entrar na competição. Foi legal superar a expectativa na primeira prova. Vou ver o que vai acontecer. Os tempos estão dentro do esperado. A gente precisa reacostumar a cabeça aos tempos que eram antes (dos trajes de natação). Pra mim a prova estava até um pouco mais forte do que eu esperava, mas é difícil falar ainda. É o primeiro dia também e a competição vai ficar rápida com o passar dos dias. O meu objetivo aqui no Pan-Pacífico é subir no pódio.

(Informações via release CBDA por e-mail e Best Swimming)


LEIA MAIS:
Arbitragem do Pan-Pacífico de Natação terá vídeos à disposição
Cielo vai à final dos 50m borboleta no Pan-Pacífico e já sonha com ouro
Gabriella Silva tem o melhor desempenho da delegação feminina




Foto depois da série de 50m borbo! A touquinha dos New Orleans Saints em ação já deu sorte!


Só uma historinha de hoje de manhã:
Tava eu pegando a barca pra ir pro Centro do Rio na dinâmica de seleção do estágio e eis que vejo um banco bem no cantinho com um amontoado de jornais. Malandramente me sentei em frente a ele e pensei: "vou ver se tem algo que presta ali pra e ler enquanto isso".
Para minha surpresa, peguei uma folha solta que tava por cima de tudo e quem é que tava com uma foto de 1/4 de página???
SIIIIIIIIIIIIIIMMM!!! Cesão!!! (só quem faz/fez jornalismo e já estudou sobre como é dividido o espaço em um jornal sabe o quanto significa UM QUARTO DE PÁGINA!)
A matéria não tinha nada de novo... tudo coisa que eu já postei aqui e a foto era essa primeira que eu coloquei ali em cima, mas cortada a água, só tinha o rosto dele em preto e branco. Mas mesmo assim tava LINDO e eu fiz questão de guardar! Hehehe


Às 22h tem transmissão do SporTV das finais ao vivo!
Quem não tiver pode acessar http://www.ustream.tv/swimnetwork que eles estão com cobertura completa!
E pra quem tem internet lenta e não pode ver na TV nem por streaming, tem os live results no site da Omega Timing, é só clicar aqui.

Beijocas Celestes