segunda-feira, 22 de março de 2010

CESÃO PODE SER UM NOVO SENNA?!

Eu acho que sim, sei se gente que concorda, de gente que discorda.

Quem acompanha meus tweets sabe o que eu falei ontem sobre. Como o espaço não é sobre o Senna não vou me alongar...


Novos ídolos admitem que imagem de Senna segue forte no esporte nacional
Os campeões olímpicos e mundiais Cesar Cielo, na natação, e Giba, no vôlei, falaram que Ayrton Senna ainda é uma referência no Brasil e se disseram fãs do piloto

Depois do fatídico 1º de maio de 1994, o posto de grande ídolo brasileiro ficou vago. Sem Ayrton Senna, em uma época que o futebol vivia uma seca de grandes nomes, os torcedores se sentiam carentes. Em um país com muitos problemas, o esporte sempre foi uma referência de sucesso para o povo, o Brasil que dá certo.

Nos 16 anos que passaram, surgiram alguns nomes para preencher essa lacuna. Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Kaká no futebol; Gustavo Kuerten no tênis; as seleções masculina e feminina de vôlei; Cesar Cielo na natação; entre outros. Aos olhos da nação, todos tinham características de Senna, representando o Brasil lá fora com vitórias e títulos.

Nesse ponto, Cielo mostra que a vida é cíclica. Quem é ídolo hoje já idolatrou alguém. E mesmo com tantos títulos, o nadador não esquece de reverenciar os esportistas que marcaram sua vida e o fizeram trilhar seu atual caminho. "Eu posso até conseguir melhores resultados que os caras, mas eles vão continuar sendo os meus ídolos. Os ídolos continuam ídolos, sempre, independentemente de qualquer coisa. O discípulo nunca vai superar o mestre."

Os mestres em questão são Gustavo Borges e Alexander Popov. "Tenho aquela imagem do cara. Mesmo com resultados melhores do que ele, ele é o cara. Ainda tenho aquela imagem do Gustavo quando eu tinha 14 anos e o via na televisão. Eu sempre tentei pegar o melhor de cada um. Do Gustavo, a dedicação e a perseverança. Do Popov – eu nunca treinei com ele, mas o Brett Hawke, meu técnico, o conhece –, peguei a frieza", falou.

Além de Gustavo e Popov, Senna também foi e continua sendo um ídolo de Cielo, que gosta bastante de F1 e carros, sempre acompanhou e ainda segue as provas da categoria. O atleta enxerga Ayrton como "um ídolo nacional, de todo mundo", que mantém intacta sua imagem junto ao público brasileiro. "Mudou a geração, mas acho que o nome Senna ainda continua sendo muito forte, presente", afirmou.

Para César, a morte ao vivo de Senna ajudou na construção desse mito. O nadador tinha apenas sete anos e tinha noção do que estava acontecendo. "Aquele foi um acontecimento que marcou muito todo mundo, em todo o Brasil. A circunstância da morte dele ainda o deixou intocável – morreu fazendo o que mais gostava", declarou.

Outro ponto que Cielo destacou para a permanência do espírito de Senna no corpo dos torcedores brasileiros é a imagem que o piloto deixou. De campeão e do atleta bem-sucedido. "Isso é para sempre. As pessoas gostam de ter uma imagem para admirar. O esporte idolatra porque as pessoas entendem a dedicação necessária para chegar a ser um destaque."

FONTE: iG Esporte

MAIS: iG Esporte - Senna mantém posto inabalável como "ídolo maior" junto a torcedor comum


--> Cesão em seu depoimento fala exatamente o que eu penso.
Mas ainda assim, eu acho que essa idolatria, quase uma beatificação ou canonização, é muito exagerada.
Sim, ele era MUITO BOM no que fazia. Mas o fato é que virou mártir e foi endeuzado pela morte precoce e pelas circunstâncias dessa morte.



Quem quiser pode me crucificar nos comentários.
É apenas a minha humilde opinião. Ninguém precisa concordar com ela. Muito pelo contrário, o debate é sempre importantíssimo!

Beijocas Celestes

4 comentários:

Tha. disse...

Pra mim, ninguém nunca vai bater o Senna. Não é beatificação, nem nada, só acho que nenhum ídolo substitui o outro, aliás, devemos ter vários pra dar mais exemplo aos mais novos. Se Senna não estivesse morto, ele ainda sim seria ídolo, por suas conquistas e personalidade. E vai ser assim com o César. Ele é, e ,vai ser ainda mais um ídolo, por sua maneira de ser e vitórias. A questão não é ser um segundo Senna, e sim, o primeiro Cesar Cielo. Cada um no seu quadrado.

Patrícia Angélica disse...

Não é questão de substituir.

É questão que as pessoas colocam Senna num patamar e dizem que NUNCA haverá outro que poderá ter a mesma "magnitude" dele.

E não concordo com isso, tenho certeza que o Cesão será ainda mais que isso.

Renato disse...

Sim, ele era MUITO BOM no que fazia. Mas o fato é que virou mártir e foi endeuzado pela morte precoce e pelas circunstâncias dessa morte.[31313424353535353353]

E óbvio que Cielo não vai substituir ninguém. Vai fazer (já está) fazendo sua própria história.

Se ele parasse hoje já teria que estar entre os melhores esportistas da história do Brasil

Emanuella disse...

"Do Popov – eu nunca treinei com ele, mas o Brett Hawke, meu técnico, o conhece –, peguei a frieza": só presta assim, não? kkk'