quinta-feira, 26 de junho de 2008

2ª parte da Reportagem e visual novo já em ritmo de Olimpíadas...!

Oi galerinhaaa... passando aqui pra mostrar pra vocês, a 2ª parte da matéria da revista e umas mudanças no blog ne... rs, com as olimpíadas se aproximando... agente tem que aprimorar né... entrar no ritmo Olímpico da coisa... eu mudei o topo... e as cores... então... começando pela reportagem aquii... rs

[...]Cinco semanas após o GP de Missouri, e já de volta à árida monotonia dos treinos em Auburn, Cielo acompanhava no laptop de seu quarto a disputa dos 100 metros livre, outra especialidade sua, pelo Campeonato Europeu. Pimba: já na semifinal daquela que é considerada a prova mais nobre da natação, um francês, Alain Bernard, atropelava o recorde mundial que também se mantinha há oito anos. “Safado”, pensou o brasileiro.
“Ele fez o tempo que eu tinha decidido fazer, 47s50. Vou ter que me testar. E já.” Foi direto falar com o técnico:
– Quero dar um tiro de 100 metros amanhã – pressionou Cesão. Brett Hawke, que é veterano de duas olimpíadas e conhece o temperamento ardido dos velocistas (ele mesmo pertenceu à tribo), não se perturbou.
“Eu te daria 1 milhão de dólares se você fizesse o tempo do francês. Só que não vai ter tiro nenhum amanhã para você não se decepcionar. Você não iria conseguir – ainda não é o momento de você explodir na água”, explicou o técnico.
De fato, todo o treinamento do brasileiro estava voltado para ele brilhar, primeiro, no campeonato universitário americano, que ocorreria poucos dias mais tarde. E só depois nos Jogos Olímpicos de Pequim. Na quinta-feira, 27 de março, uma nova bomba estourou novamente em Sydney: Eamon Sullivan, sempre ele, baixara para estarrecedores 21s28 a marca dos 50 metros, que já havia trocado de dono duas vezes nesse meio tempo. Ao sair da piscina, Eamon ainda lançara uma farpa aos adversários: “Espero que estejam tremendo nas botas.” Cesão relembra ter tido rompantes de dúvida, do tipo “e agora, o que eu vou fazer? Vou ficar com vergonha de nadar?”. Naquele dia, o velocista brasileiro estava em Federal Way, cidade-dormitório de 88 mil almas no estado de Washington, quase fronteira com o Canadá, com uma missão que não admitia falhas: honrar as cores laranja e azul-marinho de Auburn na competição mais importante do calendário americano.
Estrela máxima dos Tigers, a temida esquadra de sua universidade, Cielo não tinha tempo nem espaço para tremedeiras. Era vencer ou vencer. Entre eliminatórias, provas individuais e revezamentos disputados em jardas (1 jarda = 0,91 metro), Cesão teve de nadar treze vezes. E saiu consagrado da cultuada piscina Weyerhaeuser – a maior, senão única atração da insossa Federal Way. Sozinho, ele fez 47 dos 262 pontos da equipe, quebrou o recorde mundial das 50 jardas, tornou-se o primeiro do mundo a nadar 100 jardas abaixo de 41 segundos, e ainda entrou para os anais da NCAA (National Collegiate Athletic Association, ou Associação Atlética Universitária Nacional) como campeão nas duas provas, dois anos seguidos, um feito que não ocorria desde os tempos do colosso Matt Biondi na temporada de 1987–1988.
Sair consagrado pela NCAA é coisa grande nos Estados Unidos, e já levou Cesão a uma recepção na Casa Branca, com direito a encontro e sessão de fotos com o seu ocupante. A entidade foi fundada, em 1906, pelo presidente Theodore Roosevelt para regulamentar o esporte amador. Ela talvez nem existisse se o filho do presidente, Ted, não tivesse quebrado a espinha num jogo de futebol americano defendendo a camisa de Harvard. Roosevelt achou que deveria existir uma estrutura nacional para lidar com problemas relativos a lesões esportivas e convocou os presidentes da elite acadêmica – Harvard, Yale e Princeton – para discutir o tema.
Hoje, a Associação reúne mais de 1 200 universidades e faculdades, tem sede de 13 mil metros quadrados em Indianápolis, no estado de Indiana, recursos e poderes comparáveis aos de um ministério do esporte. Nem todo atleta estrangeiro resiste ao tranco de migrar para uma grande universidade americana em busca de melhores condições de treinamento.
Costuma esmaecer rápido a euforia inicial de ter sido selecionado no mercadão global de jovens com potencial atlético. Para brasileiros, o mais duro do aprendizado consiste em não se anular no isolamento, solidão e rigor impessoal da relação com o técnico. Para fazer jus a cerca de 35 mil dólares anuais (algo como 59 mil reais) de uma bolsa de estudos plena, Cesar Cielo Filho precisou fazer adaptações profundas. E rápidas. [...]

-

ham... gentee essa reportagem é muito boaa... nooossa tem umas partes que chega marejam os olhos... ;)
fooofíssimoo... e de pensar que ainda tem gente que tem coragem de dizer que o Cielo decepcionou ¬¬', ninguem faz nem idéia do esforço que ele faz, e fica falando merda... Cesar! conta com agente!!! :D

9 comentários:

déaaa disse...

Adoreiiii Jack..
Ficouu muito bom o Top..
Estamos no climaaa Já...
Da-lhee Cesão!

Beijos.

Peck disse...

Nossa!
Adorei essa montagem, jah toh imaginando ele vibrando com essa mesma garra lá no cubo d'água.
Perfeito, pessoal que mantém esse blog tá (de muito) parabéns.

Palomiinhaa disse...

A Montagem ficou boa Jack (:
esse cubo d'água é muito lindo ,imagina um troço desses aqui no Brasil ?! Sem noção [..]

Géssica disse...

Amiiiiiga!

Aleluuuiiia!!!

hasuhasuhasuhaushaus

Consegui abrir o blog! õ/

Pelo k-lite ¬¬'

hehe

Te amooo!

;**

Arrybaah Cesão! \õ/

jaqueline disse...

Eu achei bem legal essa matéria,pois mostra um lado bem bacana,que é o inicio e as dificuldades que esses atletas encontram na carreira e que merece como ponto final uma medalha em pequim ,não é? hehehehe
Eu achei engraçado na parte que ele fala que a sua escolta p/ fazer o teste de doping era uma mulher e que na hora deu um nó no calção e passou meia hora p/ desatá-lo afim de ir ganhando tempo.
mais que não teve jeito,fechou os olhos e mandou ver.hahahahaha
BJOS

Eduardo disse...

O CESÃO é fera mesmo, depois desta belissíma reportagem fiquei + otimista com as Olimpíadas. O cara mostra quem tem fibra de campeão.
E como o técnico dele disse, a hora certa de tu explodir na água ainda não chegou. Mais ta´chegando. Vai com tudo Cesão, acreditamos em ti. Superação, dedicação, perseverança, seja em Pequim ou Londres a seu nome brilhará para o mundo. Força, fé´e muita paz, tu merece tudo de bom. Abraço de seu fã. Eduardo Campos

Eduardo disse...

E parabéns para as meninas que trazem sempre notícias fresquinhas sobre este grande atleta brasileiro.

EU Eduardo Campos, tbm fã do Cielo sou de PONTA GROSSA - PR e pela primeira vez participo do blogger do Cesão.

beijos

suzana disse...

da-lhe cesão

saopaulinarp disse...

Viva o Cesar
ahuahuahuahuau
topo lindo :P
bjss