quinta-feira, 6 de agosto de 2009

FAZENDO ESCOLA

Mais do que nunca!

Fã de César Cielo

Tiago Macena dos Santos, 11 anos é um dos alunos que nunca tinha entrado em uma piscina. O pai faz trabalhos eventuais e a mãe está desempregada. “Nunca pensei que pudesse ser tão bom. É a melhor coisa que eu tive na vida. A água quentinha aquece o corpo e a alma. Nós saímos daqui felizes”, diz Tiago, que três meses atrás tinha medo de colocar o rosto na água por medo de se afogar. Hoje, dá suas primeiras braçadas e não perde uma competição do César Cielo, o medalhista de ouro olímpico brasileiro de natação. “Ele é o cara, né?”, diz.

FONTE: Portal Bem Paraná

--> "Ah, que gracinha"!!!!! Sem mais...


Nas braçadas de Cielo

Uma cena chamou a atenção nos Jogos Escolares do Ceará (JECs), disputados semana passada. Posicionados no bloco de largada, jovens nadadores estapeavam o corpo, pouco antes de cair na água. Imitavam o novo modelo do esporte no País: César Cielo, ouro nos 50m e 100m livre no Mundial de Roma e nos 50m livre nas Olimpíadas de Pequim-2008. Conquistas que elevaram o paulista de 22 anos ao patamar de referência nas piscinas.

O “efeito Cielo” tem potencial para se assemelhar à geração de ouro do vôlei masculino, campeã olímpica em Barcelona-1992, e ao tenista Gustavo Kuerten, tricampeão em Roland Garros. Foi a partir desses feitos que novos atletas surgiram, empresas e a mídia abriram mais espaço para eventos e patrocínios. No Ceará, o exemplo de Cielo vai além da imitação antes da prova.

Está presente também na mensagem que o atleta passa. “Ele focou muito nos treinos. Foi pra longe do que ele gostava, dos costumes dele”, avalia Dirceu dos Santos, 13, que compete nos 50m e 100m costas pelo BNB Clube, referindo-se ao fato de Cielo treinar há anos nos Estados Unidos. “Ele faz treinos específicos pra prova, tem muito trabalho psicológico”, completa João Victor, 15, também do BNB, especialista em provas de 200m e 400m livre.

A expectativa é pelo aumento na procura por aulas de natação. “Quando existe essa exposição e resultados como esse (de Cielo) a procura aumenta”, aponta o coordenador-técnico das equipes do Náutico Atlético Cearense e coordenador de natação da Federação Cearense de Desportos Aquáticos, Ulisses Júnior. O professor de natação do BNB Leoter de Souza diz que, em tempos de Olimpíada ou Pan-Americano, o clube sofre para matricular todos os alunos. “É bom para a gente como profissional, mas também para o pessoal, por conta do bem-estar”, prega.

O que se espera é que o exemplo de Cielo seja seguido também fora da piscina, com maior investimento no esporte. “Ele precisou ter muito apoio para chegar a esse nível. O que está faltando no nosso Estado é justamente isso. Não adianta treinar e não poder viajar pra competir”, destaca Ulisses.

FONTE: O Povo

--> Nha... Cesão... Daqui a pouco vai ser indiciado por lesão corporal indireta (isso existe?! oO huahuahauhua), por incentivar jovens nadadores a fazerem um ritual de autoespancamento antes de competir... hoho


Mens sana in corpore sano
Sergio Redes


As medalhas de ouro de César Cielo na natação e as conquistas individuais e esporádicas de uma Maurren Maggi ou de um Daniel Hipólito nas Olimpíadas ou campeonato mundial revelam o quanto estamos distantes de nos tornarmos uma potência esportiva.

César Cielo, como é do conhecimento de quem acompanha a natação brasileira, faz sua preparação já há alguns anos numa faculdade dos Estados Unidos e, se assim acontece, segundo ele mesmo disse numa entrevista, é porque não encontra no Brasil uma estrutura de treinamento que lhe dê rendimento.

O leitor poderá argumentar que temos conseguido sucesso em modalidades coletivas por conta de planejamentos bem feito como é o vôlei, mas se tratam de uma exceção porque os resultados que conseguimos em modalidades individuais como o atletismo ou a natação são considerados muito fracos.

E olha que existe um rolo compressor formado pelos dirigentes esportivos e parcela da mídia que exala otimismo por todos os lados. Começou com as obras do Pan-Americano, estende-se pela Copa do Mundo e ainda tem a candidatura do Rio de Janeiro para sediar as Olimpíadas de 2016.

O País vai virar um canteiro de obras e as intervenções que foram feitas no Pan ainda estão sob suspeitas. Entrevista dada pelos jornalistas Juca Kfouri e José Trajano publicada na edição 123 da revista Caros Amigos de junho de 2007 denunciou o estouro do orçamento, que previa um gasto de R$ 720 milhões e passou para R$ 3 bilhões.

Como parece interessar a muita gente fazer as coisas de improviso, as instalações construídas ficam abandonadas, como é o caso da maioria dos equipamentos esportivos construídos para o Pan-Americano. Sem contar que algumas delas terminam por não servirem ao que se propunham.

É o caso do estádio João Havelange, que foi construído para atender o Pan e ser palco de jogos na Copa do Mundo e já está condenado de antemão. O estádio tem uma pista de atletismo em volta do campo e, segundo exigências da Fifa, nada pode ficar entre o espectador de futebol e o campo de jogo.

O foco principal da prática esportiva está expresso no artigo 217 da Constituição Brasileira: “É dever do Estado fomentar as práticas desportivas formais e não formais com os recursos públicos, devendo ser gastos prioritariamente com a prática esportiva nas escolas, ou seja, no desporto educacional”.

Evidente que deve haver investimento público para um ou outro grande evento, mas se deve cumprir o preceito constitucional. É aí que reside a maior dívida do Estado brasileiro. Para sermos uma potência esportiva, o primeiro passo é equipar as escolas e valorizar o professor de Educação Física.

FONTE: O Povo

--> Disse TUDO! Falou muito bem e sem precisar citar o querido Parque Aquático Maria Lenk que fica um ano parado até receber o Troféu que leva o mesmo nome do local... Isso porque ano que vem a competição irá para a piscina da Unissanta, deixando o PAML às moscas por mais tempo ainda... ¬¬
Sem dizer que ele nem poderá ser usado, caso (DEUS PERMITA QUE NÃO!) o Rio seja escolhido pra Olimpíada de 2016... aff!!!

Beijocas Celestes!!!!!!!!!!
Nem papai entende... "Mas se tá dando certo... deixa ele!" hehe ;)

8 comentários:

Carolina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carolina disse...

Gente, umas porradinhas não machucam ninguém! Hahahahahaha! E realmente, se dá certo... estapeiem-se, nova geração da natação!
Super bem colocada a matéria de "O Povo". Já está na hora de natação, hipismo, ginásticas dentre outras modalidades de esporte receberem seu devido respeito, destaque e patrocínio - e estou me referindo a períodos pós-Olimpíada, pós-Pan, pós-Copa... Porque durante os campeonatos é muito fácil falar de todas as modalidades.

arivana disse...

matéria otima
adorei
ja estava mesmo na hora de ''abrirem'' o olho em relação as nossas precárias instalações algumas não tão precárias assim mais sem ''uso''
vamos melhorar as infra-estruturas
estimular atividades esportivas
fazer do nosso país, o páis de ''todos'' os esportes.

Karinny disse...

Queria ser uma mosquinha pra ver a reação de Cielo e família ao ler algo assim, que crianças seguem até o seu ritual antes de cairem na água para competir.

E como disse Tiago: "Ele é o cara, né?!" :D

Patrícia Angélica disse...

Cesão eu nao sei... mas Cesinha e Flávia acham engraçado e ADORAM!!!! huahuahuahuahuaha

arivana disse...

hauhauhau

blabla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.