quinta-feira, 23 de julho de 2009

CONTRA-TEMPO

É assim que Cesão vai nadar em Roma, contra o tempo (hoho, peguei vocês, hein?!)!

ADOREI essa matéria da FolhaOnline:

César Cielo põe recorde como condição para ouro no Mundial de natação
RAFAEL REIS - Folha de S.Paulo

Completar os 50 m livre em menos de 20s94 e bater, assim, o recorde mundial. Esta é a meta do nadador brasileiro César Cielo, atual campeão olímpico da distância, no Mundial de Desportos Aquáticos. A competição começa a ter suas provas de natação neste domingo, em Roma (ITA).

Embora não admita que se tornar o nadador mais veloz da história seja sua obsessão, Cielo aposta que será necessário nadar abaixo do recorde para deixar a piscina do Foro Itálico com a medalha de ouro.

"Sempre acho que meus adversários vão nadar melhor do que nunca. Penso que dois ou três nadadores vão chegar abaixo do recorde mundial. Então, acho que vou ter que bater o recorde para ser campeão", disse o velocista, em entrevista por telefone à Folha Online.



Cielo esteve próximo do recorde no momento de maior brilho de sua carreira. Para ganhar o título nos Jogos Olímpicos de Pequim, no ano passado, ele teve que "encostar" nos 21s28 do australiano Eamon Sullivan, até então a melhor marca de todos os tempos. Na ocasião, o brasileiro fez 21s30 e estabeleceu novo recorde olímpico.

"É lógico que quero bater o recorde mundial, mas o mais importante agora é bater [chegar] na frente de todo mundo. Ganhar uma Olimpíada ou um Mundial é a maior conquista que você pode ter. Posso tentar bater o recorde no Maria Lenk [torneio no Brasil] do ano que vem ou em outra competição", afirmou.

Em Roma, o grande adversário de Cielo deve ser justamente o homem responsável por quebrar pela única vez a barreira dos 21s, o atual recordista mundial, o francês Frederick Bousquet.

O nadador de 28 anos já disputou três Jogos Olímpicos, mas jamais conquistou uma medalha individual na principal competição do esporte mundial. Desde de Pequim-2008, porém, ele deu um "supersalto" de desempenho, capaz de colocá-lo diante do brasileiro pelo posto de maior velocista da atualidade.

A prova definitiva da evolução de Bousquet foi dada no dia 26 de abril deste ano, quando conseguiu o recorde mundial. Durante o Campeonato Francês de Natação, ele marcou o tempo de 20s94 e se credenciou como um dos dois principais favoritos ao ouro no Mundial.

"Ele evoluiu muito desde que voltou da Olimpíada, mas nunca estivemos na mesma fase de treinamento. Ele precisava dar mais na seletiva, enquanto eu só treinava. Temos temporadas diferentes. Eu uso o tempo dele como parâmetro, mas não dá para fazer uma comparação direta", disse Cielo, que neste ano marcou 21s14 na seletiva norte-americana para o Mundial, segundo melhor tempo da história.

Os dois protagonistas da prova mais rápida da natação são companheiros de treino. Ambos defenderam a Universidade de Auburn no NCAA, o circuito norte-americano universitário, e continuam treinando no campus. A convivência diária alimenta a rivalidade e, segundo o brasileiro, o desejo de superar o colega e adversário.

"É sempre bom ter grandes nadadores ao seu lado, principalmente quando você enfrenta no dia a dia o melhor ou o segundo do mundo. Isso nos colocou em outro nível, fez com que déssemos um passo maior do que os outros. Mas nunca levamos nada do que acontece dentro da água para fora da piscina. Esse é o nosso diferencial", explicou.

Para alcançar Bousquet e brigar pelo ouro no Mundial, Cielo treinou como nunca. Sua carga de musculação foi aumentada, mas sem reduzir a preparação dentro d'água utilizada durante o período pré-olímpico. O objetivo foi minimizar os efeitos da "ressaca" provocada pelo ouro em Pequim.

O brasileiro só retornou a Auburn em janeiro deste ano, quando o francês já "voava" em sua melhor condição física e indicava a possibilidade de quebra de recorde.

"Saí atrás, mas já fiz isso de recuperar no ano passado, e sei que posso fazer o mesmo novamente. A hora que tem que nadar rápido é na final do Mundial", afirmou o velocista, lembrando que também chegou aos Jogos Olímpicos abaixo dos seus principais adversários no ranking mundial.

"Quero me manter no topo do mundo. Continuar evoluindo é sempre um desafio para mim. Gosto de me testar, de ver que sou capaz de nadar mais rápido. A busca pelo melhor tempo me motiva", concluiu.


--> Matéria INCRÍVEL!!!!!!!!! Parabéns à Folha pela excelente análise dos dois maiores velocistas da atualidade. Faltam matérias assim no jornalismo esportivo brasileiro!

Beijocas Celestes!!!!!!!!!!!!!

3 comentários:

Karinny disse...

Realmente super matéria. Adorei a comparação, dá pra ver como o Fred é irregular, com altos e baixos. Cesão ao contrário só evolui baixando tempo.

Valeu Paty

Cintia disse...

Muito boa a matéria.

Adorei a comparação entre o César e o Fred.


Em Roma Césão vai voar!!!!!!

Lily disse...

Muito legal essa matéria, mas eu estou louquinha pra ver o Cesão no lugar mais alto do podio!!


Beijos xD