domingo, 19 de julho de 2009

Cesão no Esporte Espetacular.



O Bousquet colocando o maiô.. uma graçaa! Hahahahahahahahaha

Entrevistas

(1)

Cielo ainda melhor que em Pequim

Brasileiro chegará a Roma com o peso da fama e do favoritismo, mas confiante pelos bons tempos feitos nos treinos

Valéria Zukeran

César Cielo disputará o Campeonato Mundial de Desportos Aquáticos em uma condição bem diferente da que enfrentou nos Jogos de Pequim. Na China, era uma promessa que se transformou na primeira medalha de ouro olímpica da natação nacional. Em Roma, o atleta chega como o homem a ser batido na prova dos 50 metros livre e está otimista quanto à possibilidade de corresponder às expectativas de sair da piscina com a vitória, feito que o Brasil alcançou apenas com Ricardo Prado, nos 400 metros medley, em 1982, em Guayaquil, no Equador. Na ocasião, o brasileiro ainda estabeleceu o recorde mundial, com 4min19s78.

"Uma coisa boa, que me dá confiança, são os meus tempos na preparação para o Mundial, melhores do que os obtidos antes da Olimpíada", diz o nadador. No entanto, segundo ele, garantir medalha de ouro ou um recorde é difícil porque há muito equilíbrio entre os adversários nas provas rápidas. Uma mostra ocorreu no Circuito Marenostrum de Canet, na França, quando perdeu para o francês Fred Bousquet na final dos 50 metros livre por um centésimo e não se classificou para a decisão dos 100 metros. "Nos 50 e 100 livres, se você errar está fora. Pode pôr tudo a perder por um erro besta."

Cielo deve optar por dois tipos diferentes de maiô em Roma. "A ideia inicial era usar apenas o R-Evolution Plus, mas como a Fina aprovou o X-Glide na última hora e nadei bem com ele nas seletivas americanas em Indianápolis acho que vou revezar." Segundo ele, o modelo usado nos Estados Unidos foi bastante eficiente e só não será o "titular" absoluto na Itália por trazer um grande incômodo na hora da competição. "Ele é difícil de vestir. Leva 40 minutos para colocar da primeira vez."

Cielo conta que a proposta de usar um maiô verde em Roma não vingou. Sua fornecedora de material esportivo, a Arena, não conseguiu aplicar a cor na suas roupas. "Mas terei uma coisa especial na touquinha, que será personalizada." A empresa, em compensação, garantiu ingressos para a família acompanhá-lo em Roma, evitando o desgaste de Pequim, quando o pai, César, e a mãe, Flávia, quase ficaram de fora do Cubo D?Água por falta de ingressos. Privilégio de campeão olímpico.

Descendente de italianos, Cielo quer arranhar algumas palavras no idioma dos antepassados. "Comprei um livro com CD para treinar, mas só vai dar para falar o básico."

DESAFIO

Neste domingo, a equipe feminina de polo aquático estreia no Mundial. As adversárias nas piscinas do Foro Itálico serão as holandesas, campeãs olímpicas. Também serão realizadas as eliminatórias de solo técnico do nado sincronizado.

(2)
Entrevista com César Cielo: 'Quero fazer a prova perfeita'

POR ANA CARLA GOMES, RIO DE JANEIRO

Rio - Os tempos que ele planeja fazer nos 50m livre e nos 100m livre do Mundial de Roma já estão traçados. Mas Cesar Cielo faz mistério. Diz apenas que, se chegar perto do que ele o técnico, Brett Hawke, planejaram, será um ‘supertempo’. Quase um ano após conquistar o ouro olímpico nos 50m livre, o nadador busca agora o título mundial com o mesmo pensamento dos Jogos de Pequim: “Quero fazer a prova perfeita”, disse ele, em entrevista, por telefone, ao Ataque, ainda nos Estados Unidos, onde treina.

Sua confiança aumentou ainda mais após os resultados nas seletivas americanas em Indianápolis, há uma semana, quando bateu o recorde sul-americano dos 50m livre, com o tempo de 21s14, e marcou 47s69 nos 100m livre, a 9 centésimos de segundo de sua melhor marca, 47s60, feita no Troféu Maria Lenk, em maio. Isso tudo mesmo sem estar ‘polido e raspado’, ou seja, sem estar nas condições ideais às vésperas de competições importantes. Tudo indica que o auge deverá ser mesmo no Mundial de Esportes Aquáticos. A competição já começou na capital italiana, mas os nadadores só entram em ação no próximo domingo.

ODIA: Faltando pouco mais de uma semana para a competição de natação do Mundial de Esportes Aquáticos, em Roma, bate uma ansiedade para um campeão olímpico como você?

Cesar Cielo: – Agora, nesta semana, é muito mais cabeça do que a parte física. Descansei bastante porque agora é que entra a parte boa da temporada, pela qual eu espero o ano todo. A expectativa é superbacana. Nessa semana, tentei mesmo relaxar ao máximo, jogar videogame, assistir a um filme, acessar a Internet. É até um pouco chato, porque a gente fica sentado, deitado o tempo todo. Só tem que tomar conta para não perder a força e descansar mesmo porque, depois, teremos uma semana de prova uma atrás da outra. Tenho os meus tempos na cabeça. Então, preciso relaxar até a hora de virar a chave para me concentrar na prova.


Depois dos bons tempos nas seletivas americanas em Indianápolis, com a quebra do recorde sul-americano nos 50m livre, você ficou ainda mais confiante para se tornar campeão mundial em Roma?

Foi bom nadar em Indianápolis e saber que o que eu estou fazendo está me deixando bem. Fiz 21s14, que é o meu melhor tempo, mesmo sem estar raspado ainda. Num ambiente de uma final de Mundial, quando a adrenalina será maior, posso ser mais rápido. Vou buscar fazer o meu melhor, mas é lógico que todo mundo quer ganhar e eu também. Quero fazer a prova perfeita ou o mais próximo possível do perfeito. E espero que a minha performance seja suficiente para o ouro.

No Troféu Maria Lenk, em maio, no Rio, você declarou que o recorde mundial do francês Frederick Bousquet nos 50m livre (20s94) já não era tão assustador assim. Nadar essa prova abaixo dos 21s já é uma barreira próxima de ser quebrada para você?

Os recordes mundiais pareciam um pouco assustadores porque nem todo mundo tinha tido a chance de nadar com os novos maiôs. Agora, que todas as seletivas para o Mundial acabaram, amenizou bastante essa parte psicológica em relação aos recordes. Preciso baixar mais 18 centésimos para chegar ao recorde, mas temos que pensar num passo de cada vez. Tento fazer minha melhor performance em época de Olimpíada e Mundial. O recorde mundial é o sonho de qualquer nadador. Mas ele pode cair em qualquer lugar, no Troféu Maria Lenk ou no Sul-Americano.

Como é ter justamente o Frederick Bousquet, um de seus principais rivais no Mundial de Roma, diariamente como companheiro de treinos em Auburn, nos Estados Unidos?

Treinar com ele tem mais pontos positivos do que negativos. A gente fez um pacto para não levar nada do que acontece dentro da piscina para fora. A rivalidade não deixa o clima ruim. Estamos sempre brincando um com o outro, levando isso numa boa. E tem o lado de ter sempre um parâmetro do seu lado, para ter uma noção e fazer uma comparação direta de como você está.

Em relação aos maiôs, você já decidiu qual modelo usará em Roma, depois ter competido com o X-Glide em Indianápolis?

Vou usar o X-Glide, da Arena, que está remodelado. Prefiro o outro que usei no Maria Lenk (ele competiu com o R-Evolution, depois que o X-Glide rasgou nas eliminatórias), mas tenho que buscar velocidade e ficar no mesmo nível de todo mundo.

Nos 100m livre, você não terá o fenômeno americano Michael Phelps como rival. A ausência dele nessa prova é um ponto positivo?

Eu sei o quanto dá para fazer nessa prova e o maior adversário deve ser mesmo o Bernard (o francês Alain Bernard, campeão olímpico nos 100m livre). Talvez o fator positivo de não ter o Phelps nessa prova é que teremos uma vaga a mais em aberto no Mundial. Mas, mesmo sem ele, continua sendo uma prova forte.

Outro desfalque, mas para todo o Mundial, será o australiano Eamon Sullivan, recordista mundial dos 100m livre, que está com uma virose e já avisou que não disputará a competição...

É a mesma coisa do Phelps. Ele tem grandes chances de medalhas, mas a diferença entre os nadadores hoje é muito pequena e a disputa, mesmo sem ele, continua tendo competidores de peso.

Você tem o costume de escrever os tempos que planeja num papel. Já fez isso para o Mundial?

Sim, eu e o meu técnico (Brett Hawke) já temos ideia do tempo que queremos tanto para a prova dos 50m quanto para a dos 100m livre.

E é segredo?

Se eu fizer, eu falo depois (risos). Em Indianápolis, errei por cinco centésimos (ele tinha colocado no papel que faria 21s09 nas seletivas americanas, mas nadou em 21s14). Se eu chegar próximo do que planejei, será um supertempo.

Beijos! *_*

5 comentários:

Patrícia Angélica disse...

Bousquet "rebolando", "dançando" pra encaixar do Jaked! hahahahaha

mt lindo...

achei essa matéria mt boa!!!

a Record se f@#$% de novo nao passando a matéria, a Globo vai lá e põe uma...

#GLOBORULES

Karinny disse...

*.* Bousquet e sua "reboladinha" pra ajeitar o maiô O_O ulalaaaa!!!
Tem jinga, tem futuro, vamo trazê-lo pro carnaval kkkkkkkkkkkk

Essa matéria foi ótima pq trouxe os bastidores e eu adoro ver como as coisas se realizam, sou curiosa :D

Cesão e McGill autos papos no aquecimento na pscina, ele tem uma carinha de nerd muita fofa *.* concorrente do Kaio no 100m borbo.

"é que nem suPEEEERRRRRMEEEERRRcado" adooooro!!! *.* fofo hohohoho

Karinny disse...

Ótimo saber q Dr. César e D. Flávia estão tranquilos qto aos ingressos, nada mais justo.

Pelo visto Cesão não esta estudando, cadê até agora em italinao só um Ciao Italia!!! kkkkkkkkk uma dica, cola na Molina q ela te passa uns toques ;)

Valeu Déa!!

Guilherme Freitas disse...

Olá Patrícia tudo bem. Gostaria de deixar aqui no seu blog o endereço do meu, o Blog da Comunicação. A enquete desta semana no site é "César Cielo será campeão mundial nos 50m livre?". Para votar acesse o link: http://www.blogdacomunicacao.com.br/?p=5385.

Sou o Guilherme Freitas, editor-chefe do Blog da Comunicação e colaborador/reporter do site Best Swimming. Após o Mundial de Roma quero conversar com o Cielo e produzir uma reportagem especial no meu site.

Parabéns pelo trabalho que vem fazendo sobre esse baita nadador e acima de tudo uma pessoa humilde e determinada. Tomara que ele brilhe em Roma mais uma vez.

Um abraço,

Guilherme Freitas
www.blogdacomunicacao.com.br
twitter.com/blogcomunicacao

Patrícia Angélica disse...

Fala, Gui!!
Eu e o twitter do FC já seguimos o seu, tá?!
Poxa, maneiro!!
No que precisar, se eu puder ajudar, estamos aí!!