sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

uma pancada pra ficar gravada...

é... hoje foi um dia duro pra mim... mas tudo bem...
Deus sabe o que faz e se ele quis assim é pq vem algo melhor por aí...
foi um banho de água fria... mas eu sou uma pessoa determinada
agora eu vou correr atrás de outro trabalho, tá difícil, mas...

-

Olha eu não contei pra vocês, aliás contei só pra se eu não me engano umas 5 pessoas daqui, a Wal, a Déa, a Mah, a Paty e a Su se eu não me engano... mas eu disse umas palavrinhas pra um jornal de Americana, uma cidade proxima a Sta Bárbara D'Oeste, e foi ao ar ontem... gostaria que vocês vissem... :D
é tipo uma retrospectiva do Cesão, e tem a parte que eu falei lá... ta super bacana, vocês vão adorar, vou colocar aqui...

COLEGAS DE CLASSE

Os colegas de turma na época em que Cesão estudava no antigo Colégio Bandeirantes (hoje Instituto Educacional), de Americana, lembram-se dele como um aluno aplicado nos estudos, alegre, inteligente e de fácil relacionamento. Também se orgulham de ter sido amigos de escola do campeão olímpico no período de 1997 a 2001.
A estudante de Psicologia Roberta Chiconi diz que ele tinha como característica marcante o bom humor, contava piadas e era disciplinado. “Era só prestar atenção nas aulas que ele se dava bem nas provas. Era dedicado e naturalmente bem inteligente”, lembrou. Segundo ela, naquela época Cielo já se destacava em todas as competições intercolegiais de natação que participava.
Sobre a conquista em Pequim, ela disse que achou surpreendente mas, ao mesmo tempo, não causou-lhe tanto espanto, devido ao empenho, esforço e dedicação que Cesão sempre demonstrou, além de contar sempre com o apoio dos pais. “Desejo que ele continue brilhando cada vez mais”, orgulhou-se.
Denise Cantagallo Carreto, que cursa o quarto ano de Ciências Sociais, lembrou que Cesão era o cobiçado das meninas na época. “Ele era estudioso e as meninas gostavam dele”, contou, relatando que ele não gostava muito de nadar e que na época a mãe dele era professora de educação física na escola. “Não pensava que ia chegar longe. Quando ele ganhou não acreditei. Chorei junto com ele”, admitiu.
Davi Secomandi também tem boas recordações do colega famoso. “Era alegre na sala de aula, aluno aplicado e disciplinado, se relacionava bem com todo mundo”, afirmou. Secomandi destaca que desde pequeno era um nadador muito rápido. “Eu não pensava que uma pessoa pudesse nadar naquela velocidade. Ele tem talento fenomenal”, avaliou depois que o viu nadando pela primeira vez. “De repente, eu vi um colega de classe vencendo na vida, conseguindo seus objetivos e prosperando. Foi uma alegria muito grande”.

ALUNO PRODÍGIO

Antes de ir para os Estados Unidos, Cesão estudou na Escola de Educação Infantil Toca do Coelho, em Santa Bárbara d’Oeste, Instituto Educacional de Americana, Dom Bosco de Americana e CLQ (Colégio Luiz de Queiroz), em Piracicaba.
Cesão era um bom aluno e estudioso. Essa é a opinião dos professores que deram aulas para ele durante o ensino fundamental. “Ele era um bom aluno, estudioso”, relembra a professora de Ciências, Terezinha Gonçalves Bonganhi, que deu aulas para o campeão na sexta e sétima séries em 1999 e 2000.
Segundo ela, naquela época ele já se destacava nas competições de natação em que participava e que a mãe dele dava aula de natação no colégio e acompanhava de perto o desempenho do filho. Terezinha diz que Cielo era uma pessoa simples, humilde e amiga de todos.
Ela contou que a conquista de Cielo motivou os alunos do colégio que ensina natação. “Eles estão muitos motivados e sonham em ser também um César Cielo”.
No dia do ouro olímpico, ela disse que se sentiu realizada em ter sido professora do campeão. “Fiquei muito realizada em saber que um ex-aluno atingiu o seu objetivo, que foi em busca do sonho e conseguiu. Foi uma felicidade”. Ela deseja que ele continue a brilhar pelas piscinas do mundo afora. “ A natação está no sangue e que ele vença outras competições e continue sendo a pessoa simples e amiga de todos”
A professora de Matemática, Loretta Aparecida Tegão Montera, também elogiou o ex-aluno campeão. “Ele era um bom aluno. Normalmente esportista é, tem raciocínio rápido”, comentou ela, que deu aulas para ele na sétima e oitava séries em 2000 e 2001. Segundo ela, como ele não tinha muito tempo para estudar prestava bastante atenção nas aulas e se destacava dos demais alunos pela dedicação aos estudos.
Sobre a conquista do pupilo famoso, ela disse que se sentiu bastante orgulhosa. “Foi uma emoção muito grande um aluno com o qual convivi diariamente durante dois anos ganhar uma competição desse nível”.
No começo de sua vida escolar, aos cinco anos, Cielo teve aulas com a professora Cássia Alexandra Bortolozzo Machado, na Escola de Educação Infantil Toca do Coelho. “Naquele tempo era uma criança tímida, mas se dava bem com todo mundo e já praticava natação”, relembra. Segundo ela, ele é seu ex-aluno mais ilustre. “Fico contente pela pessoa que se transformou na vida, motivo de orgulho dos brasileiros e, especialmente, dos barbarenses”.

ORGULHO DA CASA

Cesão é o filho mais velho do casal César Augusto e Flávia Cielo. Ele é médico pediatra, formado pela Faculdade de Medicina de Vassouras (RJ) e atual secretário de Saúde da cidade. Ela é professora universitária, formada em educação física, e atualmente dá aulas no Instituto Adventista de São Paulo, em Hortolândia. A irmã Fernanda, 17, também é nadadora e estudante de jornalismo.
“Nós somos de Campinas, casamos em 1986 e viemos para Santa Bárbara d’Oeste”, contou Flávia, lembrando que na época o marido tinha prestado concurso federal e foi aprovado e escolheu a cidade para morar, onde nasceram os dois filhos do casal. Segundo ela, o César veio antes do casamento, em 1984.
FUTURO
Flávia, agora empresária do filho, informou que Cesão tem várias competições programadas para 2009, tanto nacionais como internacionais, mas o foco principal é o Mundial de Roma em julho. “Depois da olimpíada, essa é a competição mais importante da natação”, explicou. Como empresária, ela revelou que ele se sente mais seguro perto da família. “Tudo que ele vai fazer discute conosco antes, achamos melhor para dar tranqüilidade para ele, eu e o pai, ficarmos à frente para ajudá-lo nas decisões”, afirmou.
A mãe também concorda que o filho tem condições de disputar mais duas olimpíadas. “Essa possibilidade é real, é só cuidar direito”, avisou, otimista com o momento vivido pelo filho. “Espero que ele consiga absorver tudo e transformar em algo maravilhoso para ele e para a natação brasileira. Ele é bem comprometido e sabe das responsabilidades a partir de agora”, frisou.

NA JANELA

Na Rua Monte Sião, no Jardim Alfa, onde mora a família do campeão, os vizinhos também estão orgulhosos pelo filho ilustre da cidade. É o que conta a dona de casa Odete Baldo, que reside no bairro há 20 anos, bem antes da família Cielo chegar ao local. “Fiquei muito feliz com a conquista dele”, afirmou, contando que acompanhou todas as provas disputadas por Cielo nas Olimpíadas, reclamando que sente falta de vê-lo no bairro como antes. “Quando era pequeno a gente o via sempre. Agora ele fica mais fora do Brasil”, disse.
Odete desejou muita saúde e sucesso ao nadador a partir de agora. “A família é excelente, eles são gente muito boa”, elogiou.
A comerciante Rosa Bueno Zúculo destacou que a vitória de Cesão é fruto de muita dedicação de toda a família. “Acho que o ouro foi muito merecido. O tempo que levou desde a infância, foi uma luta que valeu a pena”, ressaltou. Rosa mora há 14 anos no bairro e chegou praticamente na mesma época da família Cielo e teve a oportunidade de acompanhar a carreira de Cesão até chegar ao topo. “Eu torci e vibrei junto com eles quando veio o ouro”, disse.
Ela fez questão de destacar que o apoio dos pais foi fundamental para a conquista de Cesão. “Eles são uma família bem unidade, muito boa, e ele (Cesão) uma graça de pessoa”, elogiou.

A PRIMEIRA BRAÇADA

Orgulhoso, porque poucos treinadores têm o prazer de formar um campeão olímpico, Mário Francisco Sobrinho, o primeiro técnico de César Cielo Filho, o Cesão, relembrou o início do herói brasileiro na natação e revelou que ele não era um apaixonado pelo esporte. Trabalhando atualmente como diretor aquático da Associação Cristã de Mocos (YMCA), na cidade Sumter, Carolina do Sul (EUA), Sobrinho disse que conheceu Cesão há de 13 anos, quando era o técnico de todas as categorias do Esporte Clube Barbarense.
Segundo ele, o campeão começou a nadar com a professora Maria de Fátima Silva no estágio básico e depois passou para o terceiro estágio com a professora Simone Badia Francisco, sua esposa. Já treinando com Sobrinho, Cielo começou a se despontar no nado costa, porém não era apaixonado pela natação. “Seus pais sempre foram muito presentes e comentavam sobre os incentivos que tinha que dar a ele”, lembrou.
Mesmo não sendo um apaixonado, Sobrinho destacou que ele tinha muita vocação para o esporte. “Cesão sempre foi muito perfeccionista, não gostava muito quando eu o corrigia, provavelmente por achar que estava fazendo tudo correto, ou dando o seu melhor”, contou, enfatizando que suas conversas nos treinos eram sempre sobre dedicação, compromisso e sacrifício, mas sempre com o objetivo de preparar os alunos para a vida e não para o esporte.
Sobrinho relembra uma história interessante ocorrida na época em que treinava o campeão. Em um torneio regional da segunda divisão, disputado na piscina que leva o nome de Cesão, no Barbarense, iria disputar a prova dos 100 metros nado costa. Pouco antes, ele chamou o atleta de lado e disse que não estava preocupado se iria ganhar ou não, mas que seu objetivo era se concentrar na técnica, principalmente rolar bem o ombro parando a cabeça. Como era previsto, ele ganhou a prova mas não parou a cabeça. Assim que saiu da água recebeu um chega prá lá dos bons do técnico. Sua mãe, Flávia, não gostou da atitude e foi tirar satisfação. “O que está acontecendo? Meu filho acaba de ganhar a prova com mais de 25 metros de vantagem e você não está contente?”, questionou. Ele disse que embora ela não tenha gostado, sempre respeitou seu trabalho. “Desta relação só tenho coisas boas. Cesão é campeão olímpico com uma técnica de dar inveja. Flávia e eu acabamos grandes amigos e colegas de pós-graduação. Aliás, graças ao casal Cielo eu tenho uma pós-graduação em treinamento desportivo”, reconheceu.
O técnico trabalhou no Barbarense desde julho de 1991 a outubro de 1998 e contou que a equipe principal tinha 18 nadadores muito talentosos, de um total de 70 nadadores. A escolinha do clube, segundo ele, era muito grande, chegando a ter 600 participantes e 560 na lista de espera, números que não esquece até hoje. Depois, foi treinar a equipe do União Barbarense.
Desde que Cesão foi para o Estados Unidos, os contatos são freqüentes mas Sobrinho destaca um o qual considera o mais importante e emocionante. Foi no Mundial de Curta, em Indianápolis, onde Cesão conquistou a prata com o revezamento 4 x 100 livre brasileiro. “Antes dele ir para o exame antidoping pediu licença para a comissão e veio ao meu encontro e me disse que tudo isto começou comigo em Santa Bárbara d’Oeste. Foi um momento inesquecível e também um marco, pois naquele dia abria-se um novo capítulo na história de Cesão e da natação brasileira, porque o primeiro nadador barbarense estava com um pé na Universidade de Auburn.
Sobrinho, a esposa Simone e os dois filhos acompanharam as duas provas de Cesão nas Olimpíadas de Pequim no telão do YMCA com toda a equipe de natação da cidade de Sumter. “Foi choro, abraços e gritos”, contou e deixou uma mensagem para a cidade. “Obrigado Santa Bárbara d’Oeste, com vocês eu chorei, sorri, briguei, abracei, mas conquistamos uma estrutura de ouro e alcançamos o mundo”.

PISCINA CHEIA

Dsde que César Cielo Filho, o Cesão, sagrou-se medalhista olímpico, a procura pelas aulas da escolinha de natação do Esporte Clube Barbarense, onde ele deu as primeiras braçadas, apresentou um crescimento de cerca de 70%. A informação é do diretor-técnico de natação do clube, Ricardo Pires Valente Luchiari. Hoje, a escolinha tem cerca de 150 alunos entre crianças a adultos, com aulas todos os dias em vários horários.
Luchiari teve a oportunidade de comandar Cesão em duas oportunidades como técnico da seleção interestadual em 2002 e 2003, em Mococa, evento que reuniu os melhores atletas do Estado de São Paulo. Quando chegou ao Barbarense, Cielo já tinha saído.
“Para a gente não poderia ser melhor”, argumentou o técnico, destacando que a natação é um esporte de pouca visibilidade, principalmente na grande mídia, e com o feito do Cesão, aparecendo em todo o mundo, mostra que a pessoa pode ser um grande atleta na modalidade. Luchiari lembrou que na natação o maior problema é o material humano, por isso a conquista foi muito positiva e encarada com bons olhos. “Para aparecer outro Cesão pode demorar anos ou até nunca mais aparecer”, admite.
Atualmente, conta o técnico, as atividades das equipes de competição do clube são intensas, participando de todos os eventos promovidos pela Federação Paulista e Confederação Brasileira de Natação em várias categorias. “Dos 52 finais de semana que temos durante o ano, em 35 deles, na média, estamos em competição”, contou.
Luchiari elogiou a personalidade, o caráter e a disciplina do nosso nadador mais famoso e afirmou que, com certeza, ele tem ainda mais duas olimpíadas pela frente chegando como forte candidato em condições de ganhar o ouro. “Ele está muito motivado e focado. É centrado, reservado e disciplinado, um diferencial bom para atleta”, avaliou.
O técnico fez questão de destacar um ponto fundamental na vida de Cielo que é a humildade. “Mesmo depois de ser medalhista, ele continua humilde”, lembrou. Ele citou um fato ocorrido nas piscinas do clube semanas antes dele disputar o Pan-Americano do Rio de Janeiro. Como estava na cidade, Cielo foi treinar no clube e, coincidentemente, no mesmo horário, um grupo de crianças de sete e nove anos participava das aulas de natação. “Ele acabou de treinar, poderia ter ido embora mas se dirigiu onde as crianças estavam e ficou mais de uma hora brincando com elas. O Cielo é um ídolo e o pessoal do clube é louco por ele”, revelou.

ANO PARA GANHAR O MUNDO

No ano em que comemora seus 190 anos de fundação, Santa Bárbara d’Oeste ficou mais conhecida nacionalmente e até mundialmente, graças ao seu filho mais ilustre da atualidade: César Cielo Filho, carinhosamente chamado de Cesão. Seu feito? Nada mais, nada menos que a conquista inédita da medalha de ouro na natação na prova dos 50m livre nas Olimpíadas de Pequim, na China. Antes, já tinha levado o bronze nos 100m livre e brilhado nos Jogos Pan-Americanos.
Fundada por Dona Margarida da Graça Martins, Santa Bárbara d’Oeste completa hoje 190 anos. Feriado municipal, o dia é dedicado à padroeira da cidade - Santa Bárbara, protetora contra raios e tempestades. Em 4 de dezembro de 1818, nascia a povoação que daria origem à cidade, a partir de uma capela erguida por Dona Margarida em homenagem à santa de sua devoção, após doar terras para a Cúria Paulistana para a construção da capela no local que, em pleno século 21, continua sendo o centro histórico do município, onde hoje estão a Praça Central e a Igreja Matriz, pontos de referência para a vida local.
Atualmente, Santa Bárbara é um dos municípios de maior desenvolvimento pertencente à RMC (Região Metropolitana de Campinas). Sua economia é baseada nos setores sucroalcooleiro, têxtil, metalúrgico, comércio e serviços. É considerada também como o berço da indústria automobilística no Brasil, uma vez que foi a responsável pela produção do primeiro automóvel nacional, o Romi-Isetta, lançado pelas Indústrias Romi em 5 de setembro de 1956. Sua população estimada pelo IBGE em 2008 era de 187.908 habitantes.
CARREIRA
Cielo, 21, começou a nadar com oito anos, depois de iniciar no judô. Participou primeiramente de festivais, competições internas no clube e, mais adiante, de competições regionais, estaduais e assim por diante até chegar nos brasileiros, mundiais e nas olimpíadas. Com bastante facilidade na água aprendeu muito rápido os movimentos. Apesar de nadar crawl hoje, ele se deu muito bem no costas, estilo que foi campeão regional e estadual. Nadou em Santa Bárbara até 14 anos. depois mudou-se com a família para Piracicaba, onde ficou um ano e foi para o Clube Pinheiros, em São Paulo, onde treinou dois anos com Gustavo Borges. Da Capital, foi para Auburn, Alabama, onde estuda comércio exterior com especialização em espanhol.

ÍDOLO OLÍMPICO

Desde a disputa do Pan no Rio de Janeiro, em 2007, Cesão tem um fã clube criado pela balconista Jacklene Lima, de Feira de Santana (BA) e a amiga Mayara Rodrigues, de São Paulo. Depois disso veio o blog. “Depois do Pan o fã clube bombou rapidinho e tem umas 1,7 mil pessoas de todos os lugares do Brasil e até de fora, gente que é daqui e mora em outros países, como Índia, Paraguai e Estados Unidos”, contou Jacklene, que acompanha a carreira de Cesão desde 2005, mas ainda não teve a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente. Segundo ele, são dois perfis no orkut, um e-mail e o blog e o campeão tem conhecimento e visita a página também.
Ela relembra de como surgiu a idéia de acompanhar e gostar da carreira do nadador. “Eu comecei a acompanhar a carreira dele em 2005, mas quase não sabia nada sobre ele até que, em 2006, ele bateu, o recorde sul-americano dos 100m livre, marcando 48 segundos e 61 centésimos e para mim aquela foi uma das provas mais lindas que eu já vi do Cesão, foi uma coisa que me marcou muito e comecei a acompanhar ainda mais. A vibração dele me emocionou”, disse ela, que já praticou natação quando criança, voltou no ano passado mas teve que parar para trabalhar numa loja de jóias na cidade.
Jacklene contou que acompanhou as provas em Pequim, mas ao vivo só acompanhou os 100m livre. “Foi demais, eu saí gritando na casa toda “ele medalhou, ele medalhou, meu Deus ele medalhou”, afirmou. Depois do bronze, ela disse que tinha certeza de que nos 50m livre ele ia trazer no mínimo uma prata. “Esse menino é muito determinado”. No dia do ouro, ela estava trabalhando numa formatura mas a mãe dela ligou e colocou a entrevista que ele deu logo após a conquista. “Não segurei o choro, quebrei todos os protocolos do trabalho e me tremia inteira, foi um misto de alegria e orgulho. O cara arrebentou, foi muito legal, incrível mesmo. O cesão foi merecedor de tudo o que conquistou, porque com certeza não foi fácil para ele todos esses anos nos EUA. Agora ele é campeão olímpico e meu motivo de orgulho e de todos que fazem parte do fã clube do Cesão.
Apesar de morar longe, ela sempre dá um jeito de estar a par de tudo o que acontece e passa para o pessoal do blog escrevendo as notícias quase todos os dias. “É muita gente que vista mesmo e rola uma amizade legal entre nós”. O endereço do blog é fcdocesao.blogspot.com

-

bom é isso... espero q tenham gostado... eu gostei bem muito... ;P

10 comentários:

Karen disse...

Aaaah, eu ADOREI a matéria, principalmente a sua "entrevista". Jack tá virando celebridade, aêêêêê!!!

Beijos!! ;D

Déa disse...

Jack tá virando celebridade, aêêêêê!!![2]

Hhahahhahahah

ADOREIII JACK, ADOREI!

--

Olhaa só não fica triste não tá? as coisas são assim mesmo e como vc mesmo disse aí VC É UMA PESSOA DETERMINADA... acho que você tem um exemplo muito grande,literalmente, de que pessoas determinadas conseguem o que desejam....


Beijos.

Lily disse...

Que legal!!! Achei varias coisas interesantes, mas o q mais me chamou atençao, é q a mãe dele da aula numa escola da Rede Adventista,e eu estudo numa escola da Rede Adventista só q de Brasilia. Jack, nao fica triste algumas coisas ruins acontecem para q outras melhores possam vir!

Beijos xD

Karinny disse...

Cesão segura a Jack q ela vai lhe ofuscar querido kkkkkkkkkkkkkk ópai ó!!!!!

Adorei a entrevista, falaram quase tudo, só faltou falarem a hora q Cesão nasceu, alguém sabe??!!! :D

Partes fofas dessa matéria:

* "Mundial de Curta - antes dele ir para o exame antidoping pediu licença para a comissão e veio ao meu encontro e me disse que tudo isto começou comigo em Santa Bárbara d’Oeste.(...)"

* "Ele acabou de treinar, poderia ter ido embora mas se dirigiu onde as crianças estavam e ficou mais de uma hora brincando com elas(...)" *.* fofo d+++

Jack é assim q vc tem q pensar mesmo, hj se fechou uma porta mas a janela segue aberta. Força amiga

Patrícia Angélica disse...

Jack tá virando celebridade, aêêêêê!!![3]

parabéns, minha linda... vc merece esse reconhecimento!!!!!!!

adorei a matéria, apesar do meu olhar jornalístico mega crítico da maneira "interiorana demais" de escrever do jornalista... mas isso a gente dxa qto... o conteúdo é o q conta!!! hehe

suelen disse...

aheee jack!!! tá famosa!!!!
vc merece muito esse reconhecimento!!!

adorei a máteria,muito 10.

fik trite ñ,vc vai conseguir um trabalho muito,muito melhor.vuo fikar torcendo por vc!!!!!

bjs gente!!
:)

Paloma Reis disse...

Po, minha amiga tá virando celebridade!! HSAUSHASUA. Adorei Jack, você merece! Bjos :*

Anônimo disse...

querida!!que bom que conseguiu a materia...desde que vc me contou sobre ela tava curiosa pra ler...amei!!e vc tá dando entrevista...MARA!!jack, eu sou a prova viva de que depois da tempestade vem a bonanza!! desanima nao!!to aqui pro que precisar...xero!

Marina Polezer disse...

Jack tá virando celebridade, aêêêêê!!![4]
Parabéns pela entrevista Jack!!!
É realmente mto legal ver o quanto o Cesão é especial pra vc, assim como é pra todos nós. Fico mto feliz do fc ser reconhecido por mtas pessoas, afinal ele ñ é só resultado da história do próprio Cesão, mas de todo o seu esforço e dedicação ao informar td de novo q aparece sobre ele.
Conte sempre comigo!
Mais uma vez Parabéns e mto sucesso.
Bjo* Marina

Lucinha disse...

Tá ficando famosa, heim comadre?????? [5]

Adorei a entrevista, afinal de contas tanta dedicação ao FC agora mostrou resultado...

Beijinho

PS: Tenha fé que arranja outro emprego rapidinho...