segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

aiai

Oi amores!
tudo bem?
bom, se todas as provas forem como a de hoje, eu estou bem... rs
mas sei que agora a coisa tende a piorar, pq só vem chumbo grosso por ai
é quimica, depois matematica e depois geometria... então... tenho q me manter focada... haha
agora vou postar uma materia super massa que saiu aqui e a Karinny me mandou!

-

PREMATURA PRESSA DE CAMPEÃO
Nascido aos sete meses de gestação. Cielo é obcecado por milésimos de segundo.

Bebê que nasce de 7 meses tinha de ser apressadinho: César Cielo Filho, medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim, na prova dos 50m livre, não quis esperar muito tempo para deixar a barriga da mãe, Flávia Lira. “Mas a culpa não foi dele”, defende a mãe coruja, que acompanha Cielo desde as primeiras braçadas em piscinas de Santa Bárbara do Oeste (SP).
— Quando eu estava de 2 meses, mergulhei em Ilhabela (SP). Depois disso, tive de ficar em repouso total até o fim da gravidez — lembra Flávia, que foi internada cinco vezes por causa de complicações. — A médica ficou com tanta pena de mim que pendurou o soro no lustre de casa para que eu não precisasse ficar mais no hospital.
César nasceu com 52 centímetros, sem cílios e sem as unhas porque ainda estavam em formação.
— Era tão feinho, tadinho... Nem o pai pegou no colo. O primeiro que o pegou foi o sócio dele — diverte-se Flávia, que hoje acha graça quando o filho é alçado a galã do esporte.
Depois que ganhou a medalha de ouro olímpica, Cielo já fez ensaios fotográficos para várias revistas, incluindo a “TPM”, cujo público é feminino e no auge da ebulição hormonal.
Cielo fez fotos sem camisa, com a barriga tanquinho à mostra, imagens dignas de Rodrigo Santoro. Cielo, o bonitão da vez, jura, no entanto, que toda esta publicidade não garantiu uma namorada. Está solteiro.
— Não falta oportunidade, é verdade.
Mas não estou namorando — desconversa o nadador, que concorre ao título de melhor atleta do ano em festa do Comitê Olímpico Brasileiro, na próxima terça-feira.
Seus rivais são o ginasta Diego Hypólito e o iatista Robert Scheidt.
Marcas futuras espalhadas pela casa
Alcançar o lugar mais alto do pódio em uma Olimpíada era o sonho do nadador. Mas não pense que por causa da consagração no Cubo D’Água, em Pequim, Cielo vai parar por aí. Já traçou novos planos. É movido a desafios, vitórias e também a raiva. Conta que sempre gostou de ser cutucado pelo treinador Brett Hawke, ex-nadador olímpico da Austrália e técnico dos velocistas na Universidade de Auburn, Alabama (EUA), onde estuda comércio exterior e deve se formar em 2011: — Brett sempre me deixou com vontade de superar os adversários quando batia nas minhas costas comentando que fulano havia feito o tempo X ou que beltrano tinha arrasado na competição Y. Não combino com cobrança de forma grosseira, habitual nos Estados Unidos.
Cielo observa que lá é preciso agüentar uma relação não muito pessoal entre técnico e nadador, o isolamento e os treinos exaustivos. Auburn tem cerca de 50 mil habitantes e, segundo Cielo, nenhum atrativo.
As moças usam aqueles vestidos de estampas de florzinhas nas festas.
Entre os próximos objetivos de Cielo está o recorde mundial dos 50m livre.
Ele sabe que tem condições de superar a marca e está a dois centésimos do tempo do australiano Eamon Sullivan (21s28) — o brasileiro fechou a prova olímpica em 21s30, à frente dos franceses Amaury Leveaux (21s45) e Alain Bernard (21s49). Eamon ficou apenas em sexto lugar, com 21s65. A marca dos 50m livre durou oito anos: 21s64 era o tempo do lendário nadador russo Alexander Popov, de 2000. A marca foi quebrada quatro vezes em 2008, três delas por Eamon e uma por Bernard.
Cielo não conta o tempo que pretende alcançar, apesar de já ter estabelecido seu novo número da sorte.
Costuma anotar o tempo em papéis e os cola em seu quarto e no banheiro.
Principalmente no teto do quarto, em cima da cama. Ao acordar, é a primeira imagem que seus olhos alcançam.
Os números também viram proteção de tela de computador: — Sou muito visual.
Ele também aprecia livros de superação, como os do técnico de vôlei Bernardinho e do ídolo do basquete Michael Jordan. Frases otimistas e motivacionais completam a decoração das paredes: — A biografia do primeiro-ministro britânico Winston Churchill estava chata e parei no meio.
O esporte estava no caminho de Cielo desde cedo. Ainda menino, experimentou o judô. Como era bem maior do que os garotos de sua idade, competia contra atletas de categorias superiores e perdia, o que o fez desistir da modalidade. O vôlei veio quando cursava o ensino fundamental. A convite de um professor, que também era técnico da cidade de Americana (SP), tentou a modalidade, pois tinha biotipo adequado. Jogava bem, mas nadava melhor ainda. E já começava a ter resultados muito bons na natação.
— O Cesão (como é chamado pela família) sempre teve facilidade para o esporte. Poderia optar por qualquer modalidade, menos ginástica artística — brinca Flávia, ex-nadadora especialista no estilo costas e professora de Educação Física, que deu aula de natação para o filho da 5aa 8aséries. — O esporte individual combina mais com ele. Nas horas vagas, gosta de jogar tênis e também se dá bem no esqui.
Cielo confirma que ficaria louco se perdesse um jogo por causa de um companheiro de time: — Acho que subiria no pescoço do cara... Sou tranqüilo apesar de ser metódico. Mas quando o negócio é competição, tem uma chavinha que liga e viro outra pessoa.
Não quero perder. Nem em treino.
Cesão aprendeu a nadar por sugestão do pai. A idéia surgiu quando seguia para a praia numa viagem. Mas a inspiração e o estímulo para seguir na natação vieram com a vitória. Ainda menino, Cielo gostou de vencer.
— Acho que busquei a inspiração na vitória. Continuei a nadar, quando eu ainda era criança, porque eu estava ganhando. Minha primeira conquista veio aos 8 anos, nadando uma prova de 25m livre, num Festival do Barbarense.
Fiz os 25 metros em 18 ou 19 segundos, mas o que me inspirou a continuar nadando foi chegar em primeiro — relembra Cielo, que começou a nadar no Esporte Clube Barbarense.
Assim como a paixão pela água, a determinação vem do berço. Flávia, figura marcante nos bastidores, chegou ameaçar ir à polícia para fazer um boletim de ocorrência quando Cielo foi impedido de competir em um torneio regional em sua cidade natal. O menino ainda era pré-mirim.
E quando não ganhava o ouro? Mandava a irmã ou colegas de clube pegarem a medalha em seu lugar.
Chorava tanto que parecia que o mundo estava acabando.
— Ela (a irmã) ia com o maior prazer. Ganhou várias medalhas — lembra Flávia que, a qualquer sinal de fumaça, embarca para os EUA para ajudar o filho.
Uma amiga, agente de viagem, sempre arruma passagens mais baratas.
— Também temos rádio para facilitar a comunicação. Quando o Cesão quer desabafar, ele liga. É freqüente e aprendemos a ouvi-lo.
Muitas vezes, só ouvimos — conta Flávia.
Cielo, que levou a Universidade de Auburn ao pentacampeonato nacional este ano, começou a ganhar destaque em julho de 2007, com a disputa do Pan-Americano, no Rio. Venceu o revezamento 4x100m livre, os 100m livre e os 50m livre. Na época, diante do sucesso de Thiago Pereira, que levou seis medalhas de ouro, poucos perceberam que era Cielo a maior estrela da natação brasileira.
Nos EUA, Cielo é reconhecido como o melhor velocista da equipe vencedora de Brett. Há pôsteres com a foto do nadador em tamanho real no campus. Ele fazia jus à bolsa de cerca de US$ 36 mil anuais. Agora, Cielo, que já ganhou dez títulos individuais na Associação Atlética Universitária Nacional (NCAA) para a universidade, não será mais bolsista. Tornou-se profissional e soma os patrocínios dos Correios, Pinheiros, Samsung (até o fim de dezembro) e da italiana Arena, que vai confeccionar maiôs sob medida para o brasileiro. Ele está trabalhando para fechar parcerias duradouras para o próximo ciclo olímpico, algo para poucos.
Para Flávia, Cesão chegou ao topo no tempo certo. Com acompanhamento da família, nunca pulou etapas na preparação. Só iniciou na musculação com o aval do pai, pediatra, depois dos 15 anos. Ela acredita que o estímulo para ele se manter no auge será ainda maior.
Sabe que o desafio é parceiro do filho. Talvez o parceiro mais presente no Alabama.
— Seus treinadores apostavam em sucesso em 2012. Cesão tem muito a mostrar ainda.

F: Swim!

-

legal ne?
agora vou pro reforço estudar um montinho, haha
bjooooooos!
ate amanha!
PBO, VAMO QUE VAMO CESÃO!!

10 comentários:

Diego Louzada disse...

boa sorte nas provas!

Laís Gomes disse...

Claro que o César tem ainda muito o q mostrar !!!!
beijossss!!!!

Karinny disse...

adorei o: "era tão feinho, tadinho..." kkkkkkk ao contrário da D. Flávia q se surpreende com o filho agora galã, nós nos surpreendemos imaginar como Cesão pôde ser feinho!!!! :D

Essa entrevista foi maravilhosa adorei as perguntas.

Sorte nas provas Jack ;)

arivana disse...

tbm adorei karinny

a matéria esta show
obrigada karinny
vc é um amor

bjos xau
galera
e boa sorte nas provas jack=]

Déa disse...

"César nasceu com 52 centímetros, sem cílios e sem as unhas porque ainda estavam em formação.
— Era tão feinho, tadinho... Nem o pai pegou no colo. O primeiro que o pegou foi o sócio dele — diverte-se Flávia, que hoje acha graça quando o filho é alçado a galã do esporte."

Agoraa elee é LINDÃOO :G

Matériaa muitoo boaa, mais uma vez confirmo o que já pensava da D. Fláviaa elaa é MARA!

Meninas, ainda não pesquisei,mas alguém sabe se a premiação de amanhã vai ser transmitida em algum lugar? e o horeário?

P.s: Se eu achar antes passo pra você..


Beijooo!

Déa disse...

Bastou uma visita no blog do Coach.
ahahahhah
deixa eu repassar.. vai ter transmissão pela net! lol lol

" Todas as emoções do Prêmio Brasil Olímpico 2008 também serão transmitidas ao vivo pela Internet. O evento on line, via webcast, começará a partir das 19h30 desta terça-feira (dia 16/12), nos sites do Prêmio (www.premiobrasilolimpico.com.br) e do Comitê Olímpico Brasileiro (www.cob.org.br). Cerca de 1.000 usuários poderão acompanhar a cerimônia e concorrer a camisas do Time Brasil durante o "Quiz", que apresentará perguntas sobre os Jogos Olímpicos. "

Aiii esperoo que todo mundo consiga ver! : )
Beijos

Karinny disse...

AQUELES QUE VIVEM NO NORTE-NORDESTE LEMBREM-SE QUE ESTAMOS EM HORÁRIO DE VERÃO, ENTÃO SE NO RIO É 19:30 PARA NÓS SERÁ 18:30.

Déaa disse...

Obrigadaa Karinny não me toquei para esse MÍNIMO detalheee
hahhahaaa

: )

Patrícia Angélica disse...

td bebê mt novinho é feio... normal isso...

masi normal ainda é chegar aos 20 no auge da forma física... beleza, desempenho muscular... hehe

mt boa essa matéria...

É HOJEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE

PBOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

Patrícia Angélica disse...

ah... claro, Jack!!

beijos mil e boa sorte em suas provas!!